PARASHA VAETHANAN

SHABAT PARASHAT VAETHANAN – SHABAT NAHAMU-

Resumo Da Parashá: Moisés recorda ao judeus a Entrega da Torá, os Dez Mandamentos e pede a todos que se mantenham fiéis a D’us e que nunca abandonem Suas leis. Na nossa Parashá, Moisés descreve a Entrega da Torá. Ele conta que a voz de D’us que foi escutada na época era “uma grande voz que não se interrompia”, quer dizer “que não tinha fim”. Nossos Sábios nos dão, com respeito a este assunto, três explicações:  “Uma grande voz que não se interrompia” - a voz de D’us para os Dez Mandamentos não foi escutada apenas em hebraico, mas em todos os idiomas do mundo. Isto nos ensina que os outros povos devem também cumprir suas Mitsvot, as sete dadas aos descendentes de Noach, e que os judeus devem agir para que o façam.

Moisés continua narrando aos judeus os acontecimentos que ocorreram desde a saída do Egito. Ele recorda que ele mesmo não vai entrar em Israel, e que é o seu sucessor, Iehoshua, que os conduzirá. Ele relata a Entrega da Torá e suplica aos judeus que nunca esqueçam os mandamentos de D’us. Ele repete os Dez Mandamentos e pronuncia o Shemá Israel.

A Torá manda ler o “Shemá” duas vezes por dia, “quando te deitares”, quer dizer de noite, “e quando te levantares”, quer dizer de manhã. Aliás, a oração de Shemá o diz dentro dela: “Ouve Israel, o Eterno é nosso D’us, o Eterno é Um. Amarás a D’us ... e falarás disso ...quando te deitares e quando te levantares ....e nas tuas portas.”

Dizemos no Shemá alguma coisa realmente muito importante: “Shemá Israel ... - Ouve Israel, o Eterno é nosso D’us, o Eterno é Um”. Proclamamos assim que só há um D’us.

A palavra “Um” se diz em hebraico Echad. Cada uma das suas letras corresponde a um número:

- Alef corresponde a 1. Isso nos mostra que só há um D’us;

- Chet corresponde a 8. Isso nos mostra que D’us é o único Rei dos 7 céus e da terra: 7 + 1 = 8;

- Dalet corresponde a 4. Isso mostra que D’us é o único Rei nos 4 cantos do mundo: a leste, a oeste, ao norte e ao sul.

Ao dizer o Shemá, afirmamos que o mundo inteiro, o céu, a terra, toda a criação pertencem a D’us e que é Ele Que lhes permite existirem. Não há, portanto, nada além de D’us.

Tudo isso, devemos dizer a cada manhã e a cada noite. Estes dois momentos do dia são muito diferentes um do outro; representam também situações muito diferentes na vida do homem:

- de noite: é o momento de escuridão, quando a noite cai. Isso representa a situação do homem mergulhado na escuridão espiritual. Para ele a luz de D’us é como ocultada, ele não a vê. Ele está como na noite;

- de manhã: é a hora em que a luz brilha. Isso representa a situação do homem para quem a luz de D’us é revelada. Ele sente a revelação de D’us. Para ele, é “dia”.

Mas, faça noite ou dia, é preciso sempre recordar e sempre proclamar, que D’us é o Rei único de todo o universo, que D’us é Um”.

Qualquer que seja a situação do homem, ele deve cumprir sua missão: revelar a Unidade de D’us no mundo e assim, fazer com que o mundo O reconheça.

“Shemá Israel...” - Ouve Israel, ...D’us é Um ... quando te deitares e quando levantares”.

SHABAT NAHAMU – HAFTARA-Tsion será libertada pelo julgamento e seus cativos pela Tsedacá”.

Este versículo de Isaias, conclui a última haftará das 3 semanas que comemoram a destruição dos templos.

O Admor Hazaquen explica que o julgamento se refere à Torá e que a tsedacá representa o conjunto das Mitsvot.

Tudo depende, portanto, das nossas ações e das nossas realizações durante o tempo do exílio. Durante este mês de Menachem Av precisa intensificar o estudo da Torá e o cumprimento das Mitsvot da melhor maneira.Há mais de 3.000 anos, durante o reinado de Davi, milhares de judeus pereceram numa epidemia. (Samuel II)

Rabi David Quimchi (o Radac), um comentarista da Torá (Século XII) explica que esta epidemia foi um castigo divino devido ao fato dos judeus não terem rezado para a construção do Primeiro Templo ser adiantada para a época deles, apesar de nunca o terem visto e de não terem sofrido a sua destruição. O Radac conclui com isso: nós, que vivemos na nossa história o esplendor do Beit Hamicdash e a dor da sua destruição, devemos, particularmente, rezar, esperar e até mesmo exigir de D’us a sua rápida reconstrução. Deste modo, os sábios instituíram nas três orações diárias a menção da vinda de Mashiach.

Na Oração dizemos: “D’us possa acelerar a vinda do teu servidor, o filho de David (Mashiach), porque nós esperamos tua libertação a cada dia”. Um grande pensador do século XVIII, Rabi Chaim David Azulai, (o Chida) explica esta frase assim: mesmo se não tivéssemos nenhum mérito, só o fato de esperar Mashiach é uma razão suficiente para D’us enviá-lo.Queremos Mashiach agora!

O significado do 15 de Av – Tu be Av- O tratado do Talmud Taanit nos ensina que a partir de 15 de Av, é preciso acrescentar ao estudo da Torá, pela noite. Ele nos especifica que aquele que estuda mais a Torá a partir de 15 de Av vê que se lhe acrescenta vida.

Os comentaristas explicam esta idéia: já que a partir desta data, as noites começam a se prolongar e os dias a encurtar, é preciso acrescentar ao nosso estudo da Torá. Porque a noite é um momento que convém muito bem ao estudo. Em geral, durante o dia, todo o mundo está ocupado no trabalho enquanto que à noite, tem-se tempo livre para estudar a Torá. Assim, quando os dias encurtam, há mais tempo para o estudo.

O comprimento do dia e da noite depende dos movimentos da terra e do sol. Mas, de acordo com o que o Talmud diz, se estas mudanças existem, é porque D’us quer que estudemos mais a Torá. Isto quer dizer que, para permitir que estudemos mais, D’us conduz os movimentos do sol e da terra de maneira diferente.

Como nosso estudo da Torá é importante! Reflitamos um instante sobre a imensidão da terra e sobre o tamanho, ainda maior, do sol. Este possui forças extraordinárias e a terra, tesouros maravilhosos. Sobre a terra vivem numerosos povos; milhares de animais, milhares de vegetais bem como minerais, água, etc. nela são encontrados.

Portanto, D’us conduz o sol e a terra de modo tal que acrescentemos ao nosso estudo da Torá! O movimento de um grande astro como o sol, de todo um planeta como a terra, não tem outra finalidade que a de permitir-nos estudar a Torá com alegria e, assim, levar-nos a respeitar melhor as Mitsvot.

PARASHA VAETHANAN