Endereços . MIKWA. BANHO RITUAL. 

Endereço do Mikvé Kosher do Rio de Janeiro:

Rabinato do Rio de Janeiro

Rua Pompeu Loureiro, 40

Copacabana

Tel: 2256-3587

 

Mikvé da Sinagoga de Copacabana

Rua Anita Garibaldi

Descripção

Um Mikvé se assemelha a uma pequena cisterna. A água chega a altura do peito, e, geralmente, tem lugar para três ou quatro pessoas. Os Degraus na beirada facilitam o acesso. Um olhar mais atento nos permitirá descobrir em uma das paredes, logo abaixo do nível da água, um pequeno orifício com diâmetro de 5 a 8 centímetros. Este detalhe, por mais insignificante que possa parecer, dá no entanto a banheira o estatuto de Mikvé. Neste mesmo orifício, do outro lado da parede, poderemos ainda notar um recipiente fixo que acumula água da chuva, em uma cisterna ou"bor", parte fundamental do Mikvé. Esta cisterna, "bor", é um pequeno recipiente que recebe água da chuva para conduzi-la ao banho de modo natural. Ela deve ser cavada no diretamente no solo, e deve conter pelo menos 40 "sea". É uma medida bíblica equivalendo mais ou menos a dezoito litros de água. O Miké deve conter assim, aproximativamente 760 litros de água. O "bor" em si poderia ser usado como Mikvé, mas como se torna difícil trocar-Ihe a água, ele servirá de "fonte" a um segundo compartimento ou cisterna , preenchido com água corrente que servirá para as imersões, a condição que estejam ligados um ao outro por uma abertura de pelo menos cinco centímetros.

Para que serve o Mikwa?

A lei judaica requer que se use o Mikvé em três circunstâncias principais:

1.    Após a menstruação, uma mulher só pode manter relações com seu marido a condição de ter sido imersa em um Mikvé. Trata-se aí da lei da pureza familiar da maior importância.

2.    A imersão em um Mikvé faz parte do processo de conversão ao judaísmo.

3.    Os utensílios de cozinha fabricados por não -Judeus, devem ser "convertidos" por imersão em um Mikvé.

4. Alguns tem o hábito, de imergir-se no Mikvé antes de Yom Kipur, como sinal de arrependimento e purificação. (Águas do Edem, Arrié Kaplan).

Pureza Familiar

O Mikvé permite o cumprimento de uma das obrigações mais importantes da Torá, a da pureza familiar.

O Hafets Hayim Rabbi Israel Meir Ha Cohen, a grande autoridade Ashquenazi no início do século vinte especificou que é ainda mais importante construir um Mikvé do que uma sinagoga: para rezar, podemos sempre nos reunir em qualquer lugar, em uma sala, um hotel, ou até a casa de alguém. A Pureza familiar no entanto a um elemento insubstituível quando vivemos a vida judia. Na falta de um Mikvé, o casal transgride continuadamente uma proibição tão grave quanto a de comer durante o Yom Kipur, já que tanto uma quanto a outra são sancionadas pela punição de "Karet", sem a qual há uma ruptura com a fonte das almas. As crianças que nascerem neste tipo de condição serão marcadas até sua alma, e um artigo na Guemara pretende até incluí-los na categoria de "Mamzer".

Explica-se, em geral, que o fato de penetrar na água pura do Mikvé, a água, este elemento primário, corresponde a um retorno a fonte, e, permite portanto de retirar as Impurezas que reinam por entre os homens depois de certos comportamentos e certos contatos com a impureza. 

VALIDADE DO MIKWA. Mikwa Kosher.

O Mikvé deve ser construído com a permissão,  somente e exclusivamente sob a orientação e a concordância do Rabinato do Rio de Janeiro

A validade de um Mikvé está sob inteira res­ponsabilidade do Rabino Chefe encarregado da comunidade (Yore Deha, Darketchuva). Por conseqüência aquele que não tiver sido construído sob inteira responsabilidade do Rabino Chefe não será Casher. (O único Mikvé Casher na cidade do Rio de Janeiro se situa na rua Anita Garibaldi, em Copacabana). Naturalmente, se for construído sem a autorização do Rabino Chefe,  não tem validade alguma perante a lei do Judaísmo. "Tem coisas que encontram seu sustento nas alturas do universo, mas que são tomadas sem a devida importância."Talmud Beharot, 6b.

Ao se construir um Mikvé sem a autorização e a orientação do Rabinato, não apenas para uso publico como também os residenciais, o Mikvé se torna inválido. Em outros termos, para uma mulher que pretende aplicar as leis da pureza familiar, banhar-se em um Mikvé que não tiver sido construído sob a orientação do Rabino Chefe não leva a nada. Enquanto o Mikvé não for Casher, a imersão não será Casher. Está proibido portanto seu uso.

E gravíssimo supervisionar a construção de um Mikvé quando não se tem a autorização. Não trata-se só de uma usurpação. As conseqüências, que D'us nos livre, são gravíssimas. A mulher Nidda que se banha em tal "Mikvé" não está permitida para seu marido. O veredicto dado pela corte Rabínica Ortodoxa de New York, pronunciou a interdição estrita de outros Rabinos se intrometerem em assuntos rabínicos, que são da alçada do Rabino Blumenfeld.