Para que um alimento seja kosher, todos os processos de preparo, desde seu plantio até a embalagem final, têm de ser realizados segundo regras bem definidas. Existem prescrições para a forma de estocagem, cozimento, processamento, apresentação e até para a forma de servir.
A indústria agro - alimentar engloba uma vasta quantidade de produtos. Todos acompanhados pela kasherut, ou seja a supervisão Kosher, através de um Rabino competente e autorizado juridicamente para atuar neste ramo, que inspeciona nos mínimos detalhes cada uma das etapas de elaboração dos alimentos.   

O que torna um alimento Kosher

Alguns pensam de forma equivocada que as leis alimentares judaicas, as leis da kasherut, foram instituídas por razões de saúde, de dieta ou de higiene. Mas a verdade é que a cozinha judaica não significa necessariamente comida kosher. Os alimentos kosher obrigatoriamente atendem às exigências da lei judaica (a Lei Eterna da Tora), enunciadas no antigo testamento, (Livro do Levítico). São leis que ultrapassam a lógica e estão classificadas na categoria do que está além da compreensão do homem.  O termo hebraico Kasher ou Kosher, a princípio, não era aplicado aos alimentos. A palavra aparece na Bíblia com o sentido de bom, apropriado. Depois recebeu a versão inglesa, Kosher, que hoje é amplamente empregada.