BAT MITZVA

Devemos ao rabino Jacob Ettlinger a concepção, em meados do século XIX, da cerimônia ritual feminina equivalente ao Bar Mitsva, embora ela não esteja integrada no ofício da sinagoga.

A menina alcança a maioridade religiosa, de acordo com a Lei  da Tora, com a idade de doze anos e um dia, e é BAT MITSVA.

Não há nenhuma disposição legal particular que impede uma moça de participar de uma cerimônia religiosa para marcar esta ocasião. A Lei judia declara simplesmente o fato do pai não poder mais anular seus votos e dela ter que ser considerada uma mulher independente, responsável por suas próprias decisões.