couteau-ensanglante-dans-main_91-9914.jp
couteau-ensanglante-dans-main_91-9914.jp
couteau-ensanglante-dans-main_91-9914.jp

- 1 - Kislev

RABBI FOTO.jpg

Ha Yom Yom Original: O Dia de Hoje

Edição de 1997

Única tradução autorizada para a língua portuguesa pela Kehos Publication

Traduzido por Rachel Catran e com o Rabinato do Rio de Janeiro, editado no jornal semanal Kol Hamoshiah de 1997 até 2007

Kislev

O calendário se inicia na data da libertação do Admur Hazaken da prisão: no dia 19 de Kislev. O período entre o dia 01 ao 18 Kislev se encontra no final deste mês.

Shabat 19 Kislev 5703

Haftara: ‘Hazon Ovadya

Não se fala Av Hara´hamim (Sidur p.191) e Tsidkate´ha (Sidur p.209)

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Shevii de Vayaishla´h com Rashi

Tehilim: 90 a 96

Tanya: Séfer Likutei Amarim... Beezrat Chachem Yitbare´h

Chaskamat Charav... Meanipoli

Chaskamat Charav... Chacochen

·  O oficiante não coloca Talit em Minchá, e em Maariv, nem durante a semana, nem no Shabat, nem em Iom Tov , nem em Rosh Hashaná.

·  Dia da Hilula do Maguid de Mezeritch, que deixou este mundo na Terça feira de Parashat Vaieshev 5533 (1772). Ele está enterrado em Anipoli.

·  O Admor Hazaquen foi libertado do seu primeiro encarceramento no dia 19 de Quislev, Terça feira da Parashat Vaieshev 5559 (1798), exatamente antes da noite.

·  Extrato de uma carta do Admor Hazaquen: de fato, isto deve estar bem claro: este dia que D’us fez para vocês, o 19 de Quislev, uma Terça feira, quando duas vezes foi dita a palavra “bom”, durante a criação, a Hilula do nosso santo mestre, cuja alma encontra-se no Gan Eden, enquanto eu lia no livro dos Tehilim o versículo “Ele libertou a minha alma na paz”, antes mesmo de ter começado a leitura do versículo seguinte, fui libertado, na paz, pelo D’us de Paz.

É um dia de Farbrenguen e de boas resoluções, que permitem de fixar um tempo para o estudo da parte revelada da Torá e da Chassidut, para fortalecer-se nos caminhos dos Chassidim, com amor ao próximo.

Tem-se o costume de distribuir o estudo do Talmud de acordo com o procedimento explicado na Igueret Hacodesh, na carta que começa por “Hocheac Tochiach.”. Em Lubavitch, desde o ano de 5663 (1902-1903), distribuía-se o Talmud, em 24 de Tevet, dia da Hilula do Admor Hazaquen, porque não havia tempo no dia 19 de Quislev.

Domingo 20 Kislev 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Rishon de Vayéshev  com Rashi

Tehilim: 97 a 103

Tanya: Chashkamot Charabanim... Zikhronam Livra´cha

Ni´chmatam Beguinezeï Meromim

A primeira edição do Tania, “livro dos homens intermediários”, foi concluída na Terça feira 20 de Quislev 5557 (1796) em Slovita. Ela compreendia:

·  A primeira parte: Sefer Shel Beinonim

·  A Segunda parte: Chinuch Catan e Shaar Haichud Vehaemuná.

Igueret Hateshuvá, na sua primeira versão, foi publicada pela primeira vez em Zalkwi, em 5559 (1799) depois, pela primeira vez na sua Segunda versão, em Shclov, em 5566 (1806).

Igueret Hacodesh foi editado pela primeira vez em Shclov em 5574 (1814).

A edição corrigida destas quatro partes se imprimiu em Vilna, pelo editor Rom, em 5660 (1900). Em seguida, ela foi reimpressa em várias oportunidades.

Segunda 21 Kislev 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Sheni de Vayéshev  com Rashi

Tehilim: 104 e 105

Tanya: Chakdamat Chamelaket... Baala Vegomer

Deve se aprender a Mishná de cor. Cada um o fará de acordo com suas capacidades. Deste modo, ela será recitada andando na rua e assim, se terá o mérito de receber Mashiach.

Os Chassidim devem também estudar a Chassidut: todos os Chassidim, na Segunda, na Quinta e no Shabat; os alunos da Ieshivá, uma hora a cada dia.

Terça 22 Kislev 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Shlishi de Vayéshev  com Rashi

Tehilim: 106 e 107

Tanya: A´h Beyodeï...Et Chashem Vegomer

Amen Ken Yechi Ratson

Esta é uma das práticas instauradas pelo Rebbe: todo dia, após a oração, inclusive em Shabat, em dia de festa, em Rosh Hashaná e em Iom Quipur , serão lidos Tehilim, do modo como estão divididos para os dias do mês. Quando lidos na presença de dez pessoas, se dirá o Kadish dos órfãos. Num mês de 29 dias, os Tehilim dos dois dias (do 29o e do 30o), serão recitados durante o 29o dia.

Quarta 23 Kislev 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Révii de Vayéshev  com Rashi

Tehilim: 108 a 112

Tanya: Vechiné A´char... Amarim Chanizkarim Léeïl

Extrato de uma conversa do meu avó (o Rebbe Maharash), datada de Elul 5635 (1875):

Os três dias que precedem o Shabat permitem preparar este dia. Com respeito a isso, o Zohar diz que “dele se abençoam todos os dias”. A expressão “todos os dias” alude aos seis dias da semana, aos quais D’us outorgou uma benção geral, como foi dito: “o Eterno te abençoará em tudo o que faças”.

A benção do Shabat se espalha sobre todos os dias que o precedem e sobre aqueles que o seguem. A preparação deste diz se inicia na Quarta feira. Ela está contida na pequena passagem de “Lechú Neranená”, que compreende três versículos.

(Ver o “Shir Shel Iom” da oração da Quarta feira, ao qual se acrescentam os três primeiros versículos do Salmo 95, que introduzem a oração de Sexta feira de noite).

Quinta 24 Kislev 5703

Véspera de Chanuká

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Chamishi de Vayéshev  com Rashi

Tehilim: 113 a 118

Tanya: Cap. 1: Tanya... Panim Latorach

(Continuação de 23 de Quislev). Pode se dar a seguinte explicação a estes três versículos, acessível a todos: “Lechú Neranena”, “Venham, vamos nos regozijar”.

Quando chega a Quarta feira, começamos a pensar: o que teremos para celebrar o Shabat? A questão é feita no sentido mais literal e também na dimensão espiritual: o que fará que o Shabat seja digno deste nome? De fato, cada um vive o Shabat de forma diferente do que o resto da semana. Ao se fazer esta pergunta, ficamos melancólicos e a solução é, então: “Lechú Neranena”, “Venham, vamos nos regozijar”, tenhamos confiança em D’us.

Quando chega a Quinta feira, nos aproximamos do Shabat e continuamos não tendo nada. O “Neranená” não fica mais tão à vontade e entendemos que precisa fazer alguma coisa.

Então estudamos a Chassidut na noite da Quinta feira. Desta maneira, na Sexta feira, percebemos que o “Eterno é um Grande D’us e um Grande Rei”. Com isso, um Judeu pode fazer o Shabat.

Em Minchá, não se fala o Tachanun.

Sexta 25 Kislev

Primeiro dia de Chanuká

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Shishi de Vayéshev  com Rashi

Tehilim: 119, do versículo 1 a 96

Tanya: Vecha Deamrinane... Lechityacher´Chulu

Meu pai (o Rebbe Rashab) acendia as luzes de entre Minchá e Maariv. Ele não se preocupava em saber se a porta estava orientada de norte a sul ou de leste a oeste. “Hanerot Halalú” era proferido após o acendimento de todas as luzes. Ele sentava ao lado delas durante uma meia hora, exceto na Sexta feira, quando ele não esperava tanto. Ele verificava se as luzes queimavam durante pelo menos cinqüenta minutos.

(A ordem é a seguinte: Minchá, luzes de Chanucá, velas de Shabat. Por outro lado, na sinagoga as luzes estão orientadas na direção leste-oeste, como no Templo).

Shabat 26 Kislev

Segundo dia de Chanuká

·  Abençoa-se Rosh Chodesh Tevet.

Lêem-se todos os Tehilim, de manhã cedo.

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Shevii de Vayéshev  com Rashi

Tehilim: 119, do versículo 97 ao fim

Tanya: Cap. 2: Venéfesh... Béréshit

É um dia de Farbrenguen. Começamos a dizer “Tal Umatar” (Sidur p. 54), no Shmoné Essré. Acendemos as luzes de Chanucá após a havdalá (Sidur p. 234) e antes de ler “Vaiten Lechá” (Sidur p. 235). Na sinagoga as luzes de Chanucá são acesas antes da Havdalá.

Durante o Shabat que abençoa o mês, de manhã cedo, os Chassidim se reunirão na sinagoga para recitar todos juntos os Tehilim. Logo em seguida, eles estudarão durante cerca de uma hora, um discurso Chassídico, que todos possam compreender. Depois rezarão. A hora do Farbrenguen será fixada em função das condições do local e do lugar onde morem os Chassidim, para que eles tenham sucesso material e espiritual (ver com respeito a isso o dia 30 de Nissan).

Depois de ler todos os Tehilim, durante o Shabat que abençoa o mês, será recitado o Kadish dos órfãos. Se alguém tem a obrigação de dizê-lo (no ano do luto ou no dia do Iortseit), o Kadish dos órfãos será dito após cada livro.

(Extrato de uma Sichá do Rebbe Shlitá: “me parece que quando se diz o Kadish após cada livro, é preciso antes recitar o “Iehi Ratson” (de qualquer maneira, pelo menos aquele que fará o Kadish deverá recitá-lo). Este texto marca, de fato, a conclusão dos Tehilim que foram proferidos e o Kadish deve então seguí-lo. Depois, quando se começa o livro seguinte, se inicia uma nova leitura. Se fará a mesma coisa em cada Shabat que abençoe o mês).

Domingo 27 Kislev 5703

Terceiro dia de Chanuká

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Rishon de Mikets  com Rashi

Tehilim: 120 a 134

Tanya: Cap.3: Vechiné Kol... (p.14) Upachado

Durante a sua segunda prisão, em 5561 (1800), o Admor Hazaquen não foi encarcerado e não sofreu um difícil cativeiro, como foi o caso da primeira fez. Entretanto os motivos da acusação eram mais graves porque se referiam à doutrina da Chassidut e a oposição foi intensa. Ele foi detido no “Taini Soviet” e libertado durante o terceiro dia de Chanucá.

(Nota do Rebbe Shlitá: de acordo com outra informação, ele foi libertado no quinto dia de Chanucá e é preciso concluir que esta libertação, no sentido mais literal, foi obtida durante estes dois dias ao mesmo tempo).

Segunda 28 Kislev 5703

Quarto dia de Chanuká

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Sheni de Mikets  com Rashi

Tehilim: 135 a 139

Tanya: Ki Chasé´chel... Veanafe´cha

Era costume na época do Tshemach Tsedec, organizar um Farbrenguen durante uma das noites de Chanucá, para toda a família. Seus genros também participavam do mesmo e o chamavam a “noite dos Latques”. Esta prática existiu igualmente na época do Admor Hazaquen e do Admor Haemtsaí.

Entre as histórias que nossos mestres contavam durante esta refeição, algumas eram repetidas cada Chanucá, embora já discutidas extensamente nos anos precedentes.

Meu pai (o Rebe Rashab) dava “dinheiro de Chanucá” durante a Quarta ou a Quinta noite de Chanucá.

Terça 29 Kislev 5703

Quinto dia de Chanuká

Passagens a serem estudadas:

Chumach: Shlishi de Mikets  com Rashi

Tehilim: 140 a 150

Tanya: Cap.4: Veod Yesh... (p.8) Lo Taaseï

Os erros dos Judeus na época dos gregos foram os seguintes: ligar-se por amizade com os gregos, estudar sua cultura, transgredir o Shabat e as festas, não comer Kosher, não respeitar a pureza familiar.

A punição que resultou disso foi a destruição espiritual do Santuário, a morte e a dispersão no exílio. Pela Teshuvá e pela doação de si, surgiu a maravilhosa salvação de D’us, o milagre de Chanucá.

(Observaremos a relação entre esta explicação e este dia, véspera de Rosh Chodesh, denominado “pequeno Iom Quipur”, que é consagrado à Teshuva.

,B’SD

Fin du Calendrier

Domingo 01 Kislev 5704

Rosh Chodesh

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de Vayetsé com Rashi

Tehilim:  1 a 9

Tania: Lechavin Mashekatuv Bipri Etz ´Chaïm...(p.310) Dizeer Anpin ´Chulu

Houve períodos durante os quais Rabi Yicutiael Liepler, um Chassid do Admor Hazaquen, proferiu as orações de Chacharit, Mincha e Maariv uma atrás da outra, sem nenhuma interrupção.

(O trecho do chumash estudado neste dia descreve a oração de Itschac e sabemos que ele instaurou a oração de Mincha.

Por outro lado, foi nesta data que o Rebe recuperou sua saúde, em 5738[1977].)

Segunda 02 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Vayetsé com Rashi

Tehilim:  10 a 17

Tania: Vechiné Bemakom A´cher...(p.310) Chebebrya Yetsira Assya Davka

Meu avó (o Rebe Maharash) explica num discurso chassídico a razão pela qual Rabi Eleazar dava uma moeda a um pobre antes de rezar.

Na verdade, a oração deve ser viva. Ao fazermos Tsedaca a um pobre antes da oração, estamos lhe trazendo a vida e podemos nós mesmos ganhar uma vitalidade aumentada durante esta oração.

Ao pronunciar estas palavras, ele fez um gesto com a mão virada para cima para significar um acréscimo além de qualquer imaginação.

Freqüentemente, antes da oração, meu pai (o Rebe Rashab) procurava um pobre para lhe dar de comer.

(Foi nesta data que os livros e os manuscritos do Rebe Iossef Itschac foram efetivamente restituídos à biblioteca da associação dos Chassidim Chabad, em 5748 [1988].

Neste mesmo dia, se organizava a primeira conferência internacional dos emissários do Rebe Shlita de Lubavitch.)

Terça 03 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Vayetsé com Rashi

Tehilim:  18 a 22

Tania: Vechiné Lekiyum...(p.Kuf Nun Vav) A´choraï ´Chulu

Eis uma das diferenças entre o comportamento do Baal Shem Tov e o do Maguid:

O Baal Shem Tov viajava muito enquanto o Maguid ficava em casa.

Além do mais, na época do Maguid, a Chassidut já estava amplamente espalhada, incluindo locais longínquos, graças às viagens dos discípulos do Baal Shem Tov. Inúmeros jovens que apenas possuíam um nível médio, já se haviam ligado à Chassidut e se dirigiam a Mezeritch.

Quarta 04 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Vayetsé com Rashi

Tehilim:  23 a 28

Tania: Ma Chéeïn Ken... (p.312) Chalomed Chassod

As abluções das mãos do final da refeição consistem em enxaguar a extremidade dos dedos e a passá-los, ainda úmidos, sobre os lábios.

Quinta 05 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de Vayetsé com Rashi

Tehilim:  29 a 34

Tania: Aval Davka...(p.312) Sham

“Uma escada estava apoiada no chão” (Bereshit 28, 12).

A oração é a escada que liga a alma à Divindade. Apesar de “apoiada no chão”, como o início da oração, que é um simples reconhecimento da Grandeza Divina, “sua extremidade atinge o céu”, porque ela conduz a uma submissão total. Este nível pode ser obtido graças à reflexão e à meditação durante a parte da oração que está compreendida entre Baruch Sheamar e Ishtabach, durante as bênçãos do Shema Israel e o próprio Shema Israel.

Sexta  06 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Vayetsé com Rashi

Tehilim:  35 a 38

Tania: Veod Zot...(p. Kuf Nun Zaïn) Lo Yirau

Meu pai (o Rebe Rashab) disse:

“O Shema Israel proferido antes de se deitar é, em miniatura, comparável à confissão que precede a morte. Só que, neste último caso, se abandona o “mercado” de forma definitiva e a transação “a ser cumprida hoje” chega ao seu término.

Inversamente, quando proferimos o Shema Israel a cada noite, encontramo-nos ainda dentro do“mercado” e podemos, então, agir e realizar.

Shabat 07 kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de Vayetsé com Rashi

Tehilim:  39 a 43

Tania: Ubar Min...(p.314) Chil´Chotechen

Existem três escolas de pensamento:

×  Uma escola prega a anulação da matéria, e enfatiza a que ponto todas as coisas físicas e grosseiras estão corrompidas e são abjetas. É a doutrina do Mussar (ética).

×  Uma escola descreve a elevação do espírito e da moral, sua intervenção nos sentimentos e na compreensão, a maneira de se aproximar deles. É a doutrina da Chaquira (filosofia).

×  Uma escola mostra a predominância do espírito sobre a matéria. Ela chama a atenção sobre o valor do material que é transformado e do espiritual que o penetra, de modo que eles se unificam para formar apenas uma entidade, da qual não se pode distinguir o princípio do fim. Porque “o princípio está ligado ao fim e o fim ao princípio”. Um D’us Único criou um e outro, com uma finalidade comum, a de revelar a Luz da Santidade Divina. Os dois juntos contribuem para se obter uma mesma perfeição: a que o Criador desejou. É a doutrina da Chassidut.

Domingo 08 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de Vayichla´h com Rashi

Tehilim:  44 a 48

Tania: A´h Lechavin...(p.Kuf Nun Chet) Vekheaï Gavna

É um dever meditar sobre a grandeza dos benefícios de D’us.

Por ínfimo que ele seja, o homem tem a possibilidade de provocar a satisfação do Grande entre os grandes, de Quem se diz que “não se pode compreender a Sua Grandeza”.

Com esta idéia, deve se estar sempre estimulado e servir a D’us com um coração e uma alma entusiasmados.

Segunda 09 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Vayichla´h com Rashi

Tehilim:  49 a 54

Tania: A´h Od... (p.Kuf Nun Chet) Mehanivra

• Data de nascimento do Admor Haemtsaí, em 5534 (1773). Ele deixou este mundo em 5588 (1827) e foi enterrado em Niegin.

No dia 9 de Quislev de 5554 (1793), o Admor Hazaquen pronunciou um discurso chassídico que é uma parte do capítulo 53 do Sefer Shel Beinonim (Tania) e que trata do primeiro Templo.

No dia seguinte, ele comentou por segunda vez a Chassidut e disse o fim deste mesmo capítulo. De fato, foi a partir dos discursos pronunciados entre Rosh Hashaná de 5550 (1789) e 10 de Quislev de 5554 (1793), entre os quais se incluiu uma coletânea de conselhos dados durante os anos precedentes, que se colocaram em ordem os cinqüenta e três capítulos do Sefer Shel Beinonim.

(Ver com respeito a isso o dia 6 de Adar Sheni).

Terça 10 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Vayichla´h com Rashi

Tehilim:  55 a 59

Tania: Ma Sheeïn Ken Chahala´chot...(p.316) Elokut

• Neste dia o Admor Haemtsaí foi libertado em 5587 (1826) da sua cárcere na cidade de Vitebsk. Durante o Chol Hamoed Sucot precedente, se soube que o Admor Haemtsaí havia sido objeto de uma denúncia.

No domingo da Parashat Noach, 28 de Tishrei, ele abandonou Lubavitch, escoltado por oficiais. Ao meio dia, ele chegou a Dobromisl onde pronunciou o discurso chassídico que começa com “Maim Rabim”.

Na segunda feira ele deixou esta cidade e partiu para Liosna, onde proferiu o discurso que começa com “Rospe Rispei”. Na terça feira ele se dirigiu a Vitebsk onde ficou encarcerado até domingo da Parashá Vaishlach, 10 de Quislev.

Quarta 11 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Vayichla´h com Rashi

Tehilim:  60 a 65

Tania: Vechataam... (p.316) Uguemara

Haftará Vaietsé: Veami  -  Talmi Shadaii\

Vaivarech Iaacov  -  Ubeisha shamar

Ubenevia haalé  -  Ubenevia nishmar

Estas são algumas das notas do meu pai (o Rebe Rashab) feitas no SidurSeder Hatefilá” (com comentários da Chassidut):

1a parte: discurso que começa por “Baruch Osé” (39D): está escrito: “Mashec Bhi Rdl’i.” O Rebe corrigiu: “Umeató Iuvan Pi Vinian Bi Rdl’i.”

2a parte: no discurso que começa por “Ad Hagaz ” (304D): Ledabonon Vehalacha Cr’l Shebirech.” O Rebe corrigiu: “ Lerabonon Imbirech.”

No mesmo lugar:

“Dather’i Veen Haemet.” O Rebbe riscou com a pena as últimas palavras: “Veceh Haemeth”.

No mesmo lugar: (305A) “Hatohu de Necudin.”: o Rebe corrigiu “Hatohu Vacudim.”

Quinta 12 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de Vayichla´h com Rashi

Tehilim:  66 a 68

Tania: Uma Shekatuv Beets´Chaïm... Sho´chen Ve´chulu Vedaï Lamévin

A benção “Baruch Shepatarni(Sidur p. 70) (proferida pelo pai durante o Bar Mitsva do seu filho) se diz sem citar o nome de D’us nem a Sua realeza. Pode-se também dizê-la na segunda, na quinta ou em Rosh Chodesh e não apenas durante o Shabat.

Respeitamos uma tradição que se atribui ao Baal Shem Tov: quando ouvimos uma palavra pouco lisonjeira a respeito de um judeu, mesmo se não o conhecemos, devemos sentir uma intensa dor. Porque, de qualquer maneira, alguém está errado. Se é verdade o que se está contando sobre essa pessoa, ela não é boa. Se é falso, aquele que o contou não é bom.

Sexta 13 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Vayichla´h com Rashi

Tehilim:  69 a 71

Tania: Ulechavin Prateï...Dizeer Anpin

Meu pai (o Rebe Rashab) diz:

“A Chassidut muda a existência e revela a essência. A essência do ser judeu não pode ser medida ou avaliada. Por que ela faz parte integrante da Essência divina e “aquele que a detém em parte é considerado como se a possuísse totalmente”. Do mesmo modo que a essência é ilimitada, uma parte desta o é também.

Isto pode ser comparado com o Tsitsit, colocado no canto da roupa e que é feito do mesmo material que este canto. É, então, a Essencia de D’us, na origem da alma judia, que lhe confere o caráter de criatura. E a Chassidut revela a essência desta alma.”

Shabat 14 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de Vayichla´h com Rashi

Tehilim:  72 a 76

Tânia: David...(p.320) Béet Tsarato

Faz-se o Bircat Hamazon após a refeição (Sidur p. 88-94) segurando um copo de vinho, mesmo na ausência de dez homens que fizeram a refeição. O copo se segura na palma da mão, com os dedos inclinados sobre ele. Segura-se o copo e diz-se: “senhores, vamos fazer a benção”. Conserva-se o copo na mão até o fim da terceira bênção, depois se deposita o mesmo sobre a mesa.

Num dos seus discursos, meu pai (o Rebe Rashab) deu uma explicação cujo conteúdo é o seguinte:

“Distingue-se aquele que é justo, o que é direito, o que é integro e aquele que é chassid:

• Um Justo, um Tsadic, é assim denominado por que cumpre as Mitsvot positivas, os Mandamentos e permite desta aneira a revelação de D’us no encadeamento dos mundos.

• Um homem direito é aquele que respeita as Mitsvot negativas, as Interdições e revela as luzes que transcendem o encadeamento dos mundos.

•Um homem íntegro é aquele que possui a seriedade como traço de caráter. Ele revela um nível para o qual “a árvore e seu fruto têm o mesmo sabor”. Ele unifica assim a Luz divina que envolve os mundos com a que os penetra.

•O título mais elevado é o do Chassid, que compreende três níveis:

-  O primeiro estágio se alcança por aquele ao qual as coisas do mundo não incomodam. Cada um pode e deve aceder a este nível.

-  Tendo chegado ao segundo, todas suas ações participam do Divino. Apesar de não ser inacessível, este nível não está ao alcance de todos.

-  O terceiro estágio está descrito pelo Ticunei Zohar: “quem é o Chassid? é aquele que age com benevolência com respeito ao seu Criador”, com respeito ao “seu ninho”.

O Tania explica que este último nível permite a “união do Santo bendito seja Ele e Sua Presença entre aqueles que residem nos mundos inferiores”. Ele não é apenas o meio de matar a sede da sua alma.

(Observaremos que este dia é o aniversário do casamento do Rebbe Shlita com a Rabanit “Chaia Mushca, filha do Rebe Iossef Itschac. Ele foi celebrado em 5689 [1928].)

Domingo 15 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de Vayéchev com Rashi

Tehilim:  77 e 78

Tania: A´h Ma Shehaya... Vea´chor Aïn Sham

Na Torá Or, no discurso que começa por “Vaieshev”, está escrito: “Veino Yecholo Lirot Beahavá.”

É preciso ler: “Veino Yecholo Lihiyot Beahavá.”

O Admor Hazaquen contou ao seu filho, o Admor Haemtsaí:

“Meu avó (o Baal Shem Tov) dizia que é preciso fazer a doação de si mesmo para amar o próximo, mesmo quando se trata de um judeu que nunca vimos.”

(Rabi Elimelech relatou estas palavras do seu mestre o Maguid:

“Ouve, Melech, o que se diz na Ieshivá celestial: o amor ao próximo se refere ao mais malvado com o mesmo título que o Justo completo”.

Por outro lado, o Rebbe Moshé Cordovero diz:

“O homem deve se acostumar a amar os outros a ponto de ser capaz de ter um tal sentimento com respeito a cada um. É preciso, em seu coração, amar da mesma maneira os maus e se dirá, possam estes serem Justos e fazerem Tshuvá. Todos serão grandes e aceitos por D’us. Como o amante fiel de todo Israel (Moshé), o diz: “possa todo o povo de D’us ser feito de Profetas”.

Por outro lado, diz-se também que quando o Rebbe Moshé Cordovero, o Rabino de Tsfat, deixou este mundo, em 5330 (1570), o Ari Zal o acompanhou até sua última morada. Ele atestou então que havia visto duas colunas de luzes que o seguiam. Ora, ensinou-se que isto só acontece com ou duas pessoas por geração. E se trata, no caso, da geração de Rebbe Moshé Cordovéro.)

Segunda 16 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Vayéchev com Rashi

Tehilim:  79 a 82

Tania: Utsedaka...Eïn sof Baru´h Chu

Um aspecto fundamental da filosofia de Chabad é que o intelecto domina, por natureza, os sentimentos. Ele submete o coração ao serviço divino por meio da reflexão, da compreensão e de uma profunda contemplação da grandeza do Criador do universo.

Terça 17 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Vayéchev com Rashi

Tehilim:  83 a 87

Tania: Chiné Lo... Ve´chulu Vedaï Lamévin

A Chassidut Chabad abre as portas dos santuários de Chochma (o clarão da compreensão) e de Bina (a análise intelectual) com a finalidade de que se conheça intelectualmente e de que se reconheça Aquele que, por Sua Palavra, criou o mundo.

A Chassidut Chabad desperta os sentimentos do coração de todos para que se experimente a emoção que decorre desta compreensão.

Ela é um guia que permite a cada um, em função do seu nível, aproximar-se do Sagrado e servir D’us pelo seu espírito e pelo seu coração.

Quarta 18 Kislev 5704

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Vayéchev com Rashi

Tehilim:  88 e 89

Tania: Cho´chéa´h To´chia´h... Leumat Zé ´Chulu

·  Em Minchá, não se diz o Tachanun.

O Tsemach Tsedec escreveu:

“O amor a D’us que a frase “não desejo nada além de Ti” expressa, corresponde a um nível que não permite experimentar nenhum desejo além do desejo de D’us.

Consequentemente, “o céu e a terra”, quer dizer o Gan Eden Superior e o Gan Eden Inferior não poderiam ser suficientes. Porque foram construídos pelo Iud (primeira letra do Tetragrama). O amor é, então, experimentado apenas com relação a D’us, quer dizer com respeito à Sua Essência. É assim que se expressava nosso mestre, o Admor Hazaquen, quando revelava sua ligação com D’us:

‘Não quero nada. Não quero Teu Gan Eden. Não quero Teu mundo futuro. Eu só quero Você-próprio’.”

“TENHAM UMA BOA FESTA”

“Sejam inscritos e selados para um bom ano no estudo da Chassidut e nas suas vias.”


foto-rayats-rabi-hayom.jfif

 "Todos os Direitos Reservados", que indica que aquela obra está protegida por lei e não poderá ser copiada sem autorização do autor.
©RABINADO DO RIO DE JANEIRO