O Autor do Tanya

Rabi Shneor Zalman, o Admor Hazaken, o “velho Rabi” O Rabi Shneor Zalman Barou’hovitch, filho do Rabi Baru’ch e da Rabbanit Rivka, nasceu no dia 18 de Elul 5505 (1745). Descendente direto do Maharal de Praga, a árvore genealógica de sua família chega até o rei David. Graças à benção do Baal Shem Tov, o Rabi Shneor Zalman nasceu. O Baal Shem Tov indicou então aos pais de que maneira a criança deveria ser educada. Sua alma, na verdade, proveniente do mundo espiritual de Atsilut, desceu até a terra pela primeira vez, com a missão de traduzir seu próprio ensinamento nos termos da razão. Com um ano de idade, a criança já falava como um adulto. Regularmente, o Baal Shem Tov estava, a seu pedido, informado de tudo o que se referia a ele. Desde cedo, as qualidades intelectuais do Rabi Shneor Zalman foram reconhecidas. Com dois anos de idade ele demonstrava uma memória fora do comum e uma inteligência fabulosa. Com três anos, ele foi levado até para o Baal Shem Tov, que cortou seus cabelos pela primeira vez e o abençoou. Em seguida, ele não deveria nunca mais revê-lo. Com cinco anos, seu conhecimento sobre a Tora era imenso. Ele podia explicar claramente o trecho mais árduo do Talmud . Durante seu Bar Mitsva, os maiores eruditos o declararam apto para discutir a Lei e lhe atribuíram o título de “Gaon”. Ele se casou, em 5520 (1760, com 15 anos), com a Rabanit Sternah, filha do Rabi Yehuda Leib Segal e da Rabanit Beila. O sogro do Rabi Shneor Zalman, um importante erudito da comunidade de Vitebsk, pertencia aos Mitnaguedim (oponentes a Chassidut) e fez seu genro sofrer, quando este se tornou um Chassid. O Rabi Shneor Zalman se instalou na região de Vitebsk e logo no inicio, se preocupou com o bem estar de seus irmãos judeus, que ele obrigou a constituir colônias agrícolas. La, eles poderiam viver sem os sofrimentos que os não judeus impunham. Assim, eles podiam se isentar de certos impostos. Para realizar tudo isso ele comprou terras com o dinheiro que ele tinha recebido para o seu casamento. Lá, ele estabeleceu numerosas famílias judias e nomeou também professores para ensinar a Tora para eles. De 5518 a 5523 (1758 a 1763, dos 13 aos 18 anos), o Rabi Shneor Zalman estabeleceu as idéias fundamentais de seu sistema filosófico, baseado no amor e no temor de D’us provocados pelo intelecto e por uma reflexão profunda. Seu ensinamento foi em seguida estruturado a partir da Chassidut, sob a ordem do Maguid que, primeiramente, recusou-se a orienta-lo no serviço de D’us e pediulhe que construísse seu próprio sistema. Na verdade, ele foi ver o Maguid de Mezeritch pouco tempo depois, em 5524 (1764, com 19 anos) para receber sua orientação e para adquirir seus ensinamentos da Tora e a reza. Ele hesitou durante um certo momento entre seguir a linha do Gaon de Vilna ou a linha do Maguid de Mezeritch. Depois, considerando que ele já conhecia o que o Gaon de Vilna ensinava, ele decidiu viajar para Mezeritch para receber a orientação do Maguid a fim de aprender a rezar. Ele se tornou rapidamente seu Chassid. Seu mestre o nomeou o Maguid de Liosna em 5527 (1767). Depois o Maguid de Mezeritch, o encarregou, em 5730 (1770), de redigir o Shul’chan Aruch,e começou imediatamente sua compilação. A DINASTIA CHABAD LUBAVITCH "Todos os Direitos Reservados", que indica que esta obra está protegida por lei e não poderá ser copiada sem autorização do autor. Copyright © RABINADO DO RIO DE JANEIRO 8 Depois que o Maguid de Mezeritch deixou este mundo, o Rabi Shneor Zalman divulgou a Chassidut Chabad contestada pelos Mitnaguedim (oponentes da Chassidut) e defendeu os ensinamentos do Baal Shem Tov. Para isso, ele fundou, em 5532 (1772, com 27 anos), sua Yeshiva (escola Talmúdica) em Liosna. O acesso era reservado para aqueles que já tinham grandes conhecimentos, tanto da parte legislativa da Tora quanto da Kabala. Em 5534 (1774, com 29 anos), junto com o Rabi Mena’chem Mendel de Horodok, ele foi foi se encontrar com o Gaon de Vilna que se recusou em recebê-los. Em 5543 (1783), ele saiu vencedor do grande debate e confronto de Minsk para defender a Chassidut, e depois do confronto de Chklov. Paralelamente, seu ensinamento foi cada vez mais difundido. Ele redigiu o Chulc’han Aruch, cuja primeira parte, as “Leis do estudo da Tora”, foi publicada em 5554 (1794). Em relação a Chassidut, seu sistema de pensamento é exposto na sua obra monumental, o Tania, “Lei Escrita da Chassidut”, primeiro difundida sob a forma de manuscrito, depois impressa em 5557 (1797). Além do mais, uma grande compilação de seus comentários da Tora é encontrada em dois importantes volumes, “Tora Or”e “Likutei Tora”. O Tsemach Tsedek, seu neto, publicou o “Torá Or” em 5597 (1837) e o “Likutei Tora” em 5608 (1848). Ele foi vítima de uma denúncia de seus oponentes (Mitnaguedim). Na verdade, ele era responsável, na Rússia, para coletar fundos para sustentar a comunidade Chassidica da Terra Santa, dirigida pelo Rabbi Mena’chem Mendel de Vitesbk. Ora, Erets Israel estava nesse momento sob o domínio dos turcos e a Turquia era inimiga da Rússia. Ele foi então preso, em 5559 (1799), no dia seguinte da festa de Sucot, e levado para Petersburgo, para a fortaleza Petropavlov, detido sob segurança máxima. Sua prisão semeou a desordem entre os Chassidim Chabad e sua primeira reação foi de escrever para eles uma carta interditando qualquer ato de vingança. Ele foi libertado na terça feira 19 de Kislev, data que se tornou o Rosh Hachana (Ano Novo) da Chassidut, um dia que não se fala o Ta’hanoun. Em seguida, seu ensinamento foi ainda mais difundido do que antes de sua detenção. Dois anos mais tarde, ele foi novamente preso em Petersburgo, no dia seguinte de Sucot. Ele foi libertado no meio da Festa de Chanuka e deixou Petersburgo no dia 11 de Menachem Av 5561 (1801) para se instalar em Lyadi. O Rabi Shneor Zalman se posicionou contra a invasão francesa na Rússia, consciente da influência nefasta que ela teria sobre os judeus. Perseguido pelo exército de Napoleão Bonaparte que contava com quarenta mil homens, ele teve que fugir, aconselhado pelo general Nebrowsky, e deixar Lyadi, na véspera do Shabat que abençoa o mês de Elul 5572 (1812). Com sua família e numerosos Chassidim, ele foi de uma cidade para outra e chegou, no dia 12 de Tevet 5572 (1812) na aldeia de Pyena, perto de Kursk. Foi lá que ele deixou este mundo, no final do Shabat, véspera do domingo 24 de Tevet. Ele descansa em Haditch, perto de Poltava. O Rabi Shneor Zalman teve três filhos e três filhas. Seus três filhos foram o Rabi Dov Ber, que lhe sucedeu, o Rabi Haim Avraham e o Rabi Moshé. Todos os três se dedicaram particularmente em difundir os escritos de seu pai. Suas três filhas foram a Rabanit Freida, a mãe do Tsemach Tsedek (que se tornará o terceiro Rabi Chabad Lubavitch), a Rabanit Devorah Lea, e a Rabanit Ra’hel. A A DINASTIA CHABAD LUBAVITCH "Todos os Direitos Reservados", que indica que esta obra está protegida por lei e não poderá ser copiada sem autorização do autor. Copyright © RABINADO DO RIO DE JANEIRO 9 Rabanit Devorah Lea ofereceu sua vida em troca da vida de seu pai, em decorrência de uma falsa acusação feita contra a Chassidut no Tribunal celeste.</p>

O Autor do Tanya