Sarah

Sarah

Durante a noite, Hashem apareceu para Avraham e disse: “Sarah tem razão em tudo o que ela diz! Ouça-a pois suas palavras são inspiradas no Espírito Santo (Ruah Hakodesh)”.

“A perda de Sarah foi lamentada não somente por Abraham e seus homens, como também por todos os moradores de Canaan, pois ela tinha contribuído, por mérito, para a prosperidade do país. Sempre virtuosa e íntegra durante seus 127 anos, ela aceitou com alegria todos os decretos de Hashem. Aos cem anos de idade, ela era tão pura e inocente quanto uma pessoa de vinte anos. Ela foi a primeira de nossas quatro Matriarcas (Imaot), as Fundadoras do Povo judeu. Ela foi também uma das sete Profetisas reconhecidas pela Tradição.

Essas sete Profetisas foram:

Sarah

Myriam

Devora

Hanna

Avigail

Hulda (que transmitiu sua profecia às mulheres enquanto Yirmiyahu transmitia a sua aos homens)

Esther.

Abraham pronunciou o discurso  fúnebre de sua ilustre esposa:

“Aonde existe uma mulher como você?”

Quando Sarah faleceu, a Nuvem de Glória que estava sobre sua tenda desapareceu, a massa do pão (Hala) parou de ser abençoada e a chama que queimava sem parar na sua casa de uma véspera de Shabat (Erev Shabat) até a outra se apagou. Seus méritos eram tão grandes que Hashem Se dirigiu diretamente a ela (Bereshit 18, 15), diferentemente das outras profetisas com as quais ele se comunicou por intermédio de um mensageiro. Ela era tão virtuosa que até mesmo os anjos a obedeciam: bastou ela ordenar a um dos anjos bater  para que ele provocasse furúnculos no Faraó e na sua côrte.

Quando o rei Salomão (Shlomo Hamelekh) compôs nos Provérbios “A mulher virtuosa (Eshet Hayil), no qual ele descreveu os méritos da mulher virtuosa, ele estava pensando em Sarah: os versículos desse texto seguem a ordem alfabética de Aleph (primeira letra do alfabeto hebraico) até Tav (ultima letra do alfabeto hebraico), assim como ela observou na Torá, do inicio até o final com integridade, de Aleph até Tav.”