espelhos sagrados

espelhos sagrados

E ‘Hana rezou e disse:

“Meu coração exulta no Senhor, minha glória foi erguida pelo Senhor, minha boca está amplamente aberta contra meus inimigos, pois eu rejubilo através de Vossa salvação.

Não há ninguém santo (Kadosh) como o Senhor, pois não há ninguém além de Vós e não há ninguém  poderoso como nosso D’us.

Não falem tão excessivamente com arrogância;

não permitam que insolências saiam de suas bocas, pois o D’us sabe os pensamentos, e por Ele todos os atos são contados.

Os arcos dos poderosos estão quebrados, enquanto que aqueles que tropeçaram estão cingidos com força.

Aqueles que foram saciados foram contratados por pão, enquanto que aqueles que estavam famintos cessaram de ficar na vontade.

Enquanto a mulher estéril deu à luz a sete filhos, ela que teve muitos filhos está desolada.

O Senhor põe a morrer e restaura para viver.

Ele abaixa a sepultura e ergue.

O Senhor faz pobres e faz ricos.

Ele humilha, e Ele também exalta.

Ele ergue os pobres do pó, levanta os destituídos do monturo, para sentá-los com nobres e dá-lhes como herança um assento de honra.

Pois os pilares da terra são do Senhor, e Ele assentou o mundo sobre eles.

Ele guarda os pés dos seus devotos, mas os perversos estão silenciados na escuridão,

Pois não é pela força que o homem prevalece.

Aqueles que competem com o Senhor serão esmagados.

Ele trovejará contra eles no céu; o Senhor julgará os mais distantes cantos da terra, dem força a Seu Rei e ergam a gloria do Seu ungido (Messias).

Shmuel (Samuel: 1:2)

Letra no Sefer Torá

“A palavra “Israel” é constituída em Hebraico pelas iniciais das palavras da expressão “Yech Shishim Ribo Otiote LaTorah” (há 600.000 letras na Torá). Isso significa que da mesma maneira que a integridade de um Sefer Torá depende de cada uma das letras que o constitui, a integridade do povo judeu (inclusive a de D´us) depende também de seus membros. Quando um indivíduo geme por causa do castigo que ele recebe por ter cometido algum pecado, a Shehina  (Presença Divina) diz: “Minha cabeça está pesando, Meus ossos estão pesando” (Sanhedrim cap. 6 Mishna 5).  (Discurso do Rabi de Pessach 5712-5717 [1952-1957])

Sarah

Durante a noite, Hashem apareceu para Avraham e disse: “Sarah tem razão em tudo o que ela diz! Ouça-a pois suas palavras são inspiradas no Espírito Santo (Ruah Hakodesh)”.

“A perda de Sarah foi lamentada não somente por Abraham e seus homens, como também por todos os moradores de Canaan, pois ela tinha contribuído, por mérito, para a prosperidade do país. Sempre virtuosa e íntegra durante seus 127 anos, ela aceitou com alegria todos os decretos de Hashem. Aos cem anos de idade, ela era tão pura e inocente quanto uma pessoa de vinte anos. Ela foi a primeira de nossas quatro Matriarcas (Imaot), as Fundadoras do Povo judeu. Ela foi também uma das sete Profetisas reconhecidas pela Tradição.

Essas sete Profetisas foram:

Sarah

Myriam

Devora

Hanna

Avigail

Hulda (que transmitiu sua profecia às mulheres enquanto Yirmiyahu transmitia a sua aos homens)

Kior

A ordem para construir um Kior para o Santurario. (uma bacia)

Hashem mandou construir uma grande bacia especial de cobre, com chafarizes, para colocá-la logo na entrada do Templo Sagrado, no Mishkan. (O Mishkan era o Primeiro Templo Sagrado portátil construído no deserto pelos judeus depois de ter saído do Egito e antes de entrar em Israel). A bacia (o kior), era colocado no pátio do Mishkan, entre o Mishkan e o Mizbeah (o Altar). Enchiam essa bacia (kior) de água toda manhã para que os Sacerdotes (Kohanim) pudessem jogar água nas mãos e nos pés antes de começar os sacrificios (a avoda). Se o Kohen não cumprisse essa Mitsva (Mandamento divino) de Netilat Yadaim, (derramar água sobre as mãos e os pés antes de servir D’us), ele era condenado de morte pelo Céu.” (Sanhedrin 83 b)

O Kior (a bacia) é feito com os espelhos de cobre das mulheres

“Além dos numerosos donativos oferecidos pelos judeus para a construção do Templo Sagrado do deserto (o Mishkan), as mulheres trouxeram seus espelhos de cobre pessoais para que eles servissem de material de construção. Vendo esses espelhos, Moshe pensou: “Como é que eu posso aceitá-los? São os instrumentos do desejo, da tendência para o mal, (o Yester Hara).

- Não despreze os espelhos,  disse D’us, (Hashem) corrigindo ele. Graças a eles, os judeus (Bnei Israel) se multiplicaram no Egito. As mulheres judias os utilizaram em Nome de D’us (LeShem Shamaim), para embelezar-se e de despertar os desejos de seus respectivos maridos, a fim de continuar tendo filhos mesmo com a opressão egípcia que quis acabar com a raça judaica.”

Hashem deu a seguinte ordem a Moshe: “pegue esses espelhos para a construção do Kior, a bacia que fica na entrada do Templo Sagrado e que serve para lavar as mãos e os pés dos sacerdotes antes de servir D’us. As mulheres judias utilizaram os espelhos só com uma finalidade de santidade (Kedusha). É por isso que no futuro, as mulheres adulteras, (as sotot)  serão testadas pela água do Kior  para determinar se elas são puras e santas como eram suas mães.” (Berahot 55)