A VIDA NÃO PARA

A VIDA APÓS A MORTE

Esta Parashá se denomina “Chaié Sara - a vida de Sara”. No Tania, o Admor Hazaquen explica que o nome de cada coisa é muito importante, e é graças a ele que esta coisa pode existir.

Portanto, se toda a Parashá leva o nome de “Chaié Sara”, é porque ela está inteiramente ligada à vida de Sara.

Mas nossa Parashá só fala de Sara apenas no princípio. Todo o resto nós conta outra coisa: o casamento de Itschac, a morte de Avraham. Porque, então, toda a Parashá se chama “Chaié Sara - a vida de Sara”?

Na verdade, tudo o que a Parashá relata está ligado à vida de Sara, seja o casamento de Itschac ou a morte de Avraham. Com respeito ao casamento de Itschac e de Rivca, a Torá nós diz: “E Itschac a levou para a tenda de Sara, sua mãe”. Quando Itschac aceitou casar com Rivca? Somente depois de fazê-la entrar nesta tenda e de, neste momento, tudo ter voltado a ser como no tempo de Sara. Rashi explica que havia três coisas extraordinárias na tenda de Sara:

1) a luz acesa para Shabat durava a semana inteira, até o Shabat seguinte,

2) havia uma bênção especial na massa do pão,

3) uma pequena nuvem se erguia sempre acima da tenda.

Após a morte de Sara, tudo isso havia desaparecido. Mas tudo voltou graças à Rivca.

Constatamos que, três anos após sua morte, se da uma seqüência à vida de Sara.

Com respeito à morte de Avraham, a Torá conta: “Itschac e Ishmael o enterraram”, quer dizer que Itschac passou na frente de Ishmael. Este havia feito Tshuvá, e é por isso que havia deixado Itschac em primeiro lugar, reconhecendo assim, que Itschac era o verdadeiro herdeiro de Avraham.

Tudo isso ocorreu graças a Sara. Ao perceber que Ishmael se comportava mal, ela pedira a Avraham para expulsá-lo. “Porque ele não herdará” disse ela. Ela queria que ele faça Tshuvá e foi o que ele fez! Anos após a sua morte, ele deixou Itschac passar à frente. Vemos bem este fato como uma seqüência da vida de Sara.

Portanto, se toda a Parashá leva o seu nome, é porque está realmente ligada a ela.