3. Bhaaloteha


B’SD

Kol Hamoshiach

PARASHAT BEHAALOTECHÁ

Conteúdo da Parashá:

I.  Aarão recebe instrução sobre como acender a Menorá.

II.  Os Leviim são santificados para servir no Tabernáculo.

III.  Pessach no deserto e Pessach Sheni.

IV.  A nuvem de Glória de D’us guia o povo no deserto.

V.  O mandamento das duas trombetas de prata.

VI.  Quase um ano após ter recebido a Torá, Bnei Israel deixa o Monte Sinai.

VII.  Itró é convidado por Moshé para permanecer com os israelitas.

VIII. O deslocamento e o repouso da Arca da Aliança.

IX.  O povo se queixa por ter que viajar a Taverá e sobre a falta de carne em Quivrot Hataavá - a provisão das codornizes e o conseqüente castigo do povo.

X.  Setenta anciões são escolhidos por Moshé.

XI.  Miriam fala negativamente de Aarão sobre Moshé, e é castigada.

Resumo da Parashá:

D’us falou a Aarão: “Quando eleves as luzes...” Os mestres fizeram uma pergunta: Porque a Torá não escreveu: “Quando acenderes?”

É que as luzes simbolizam as almas judias. Existem sete tipos de almas judias, semelhantes aos sete braços do candelabro.

O papel de Aarão era inflamar as faíscas de divindade que cada judeu possui nele, de modo a fazer com que estas luzes se elevem. Do mesmo modo, cada judeu deve elevar a alma do seu próximo: ele deve acender a luz que está no outro. Mas não deve se contentar em acendê-la ele mesmo. Ele deve fazer de modo que o outro se encarregue, sozinho, e que ele acabe por se elevar ele mesmo, por vontade própria.

É por isso que está escrito: “Quando eleves as luzes: quando influencies os judeus, quando agires sobre eles de modo que acabem se encarregando eles próprios por suas luzes, para que se elevem por elas mesmas”.