17 DE TAMUZ dia de JEJUM

17 DE TAMUZ dia de JEJUM Todos devem examinar e retificar suas ações nos dias de jejum, pois seu objetivo não é a aflição, mas o arrependimento, e o jejum é apenas um meio para esse fim. NO DIA Dezessete de Tamuz Cinco calamidades ocorreram: 1) As ofertas diárias foram abolidas no primeiro Templo, pressagiando sua destruição; 2) Abriu uma brecha em Jerusalém no momento do segundo Templo, pressagiando sua destruição; 3) Moisés quebrou as tábuas por causa do bezerro de ouro; 4-5) Apostomos o ímpio queimou a Torá e colocou um ídolo no Templo. Terça 17 Tamuz no Hayom Yom, o dia de Hoje É um dia de jejum. Recitam-se as Selichot (Sidur p. 362) Diz-se Avinu Malqueinu (Sidur p. 277) Uma diferença entre as primeiras e as últimas Tábuas da Lei (foi no dia 17 de Tamuz que estas foram quebradas) pode ser constatada: Nas próprias Tábuas: As primeiras eram a obra de D’us, as segundas, “faz para ti” (Moshé as fez). Na escrita: A qualidade de serem gravadas, como o explicam nossos Sábios (Eruvin 54A), era possuída unicamente pelas primeiras. No nível espiritual dos filhos de Israel: Quando as primeiras foram dadas, eles eram justos: ao se pararem diante do Monte Sinai, sua impureza desapareceu. Quando eles receberam as segundas, acediam ao arrependimento No nível espiritual de Moshé: Quando a Torá foi entregue, mil luzes foram oferecidas de presente a Moshé. Após o pecado do Bezerro de Ouro, elas lhe foram retiradas e não lhes foram restituídas com as segundas Tábuas da Lei (com exceção do Shabat, como o explica o Pri Ets Chaim). Entretanto as segundas Tábuas da Lei possuíram uma grande qualidade: elas foram dadas com as Halachot, o Midrash, as Agadot. Elas foram assim “uma dupla doação de sabedoria da Torá”, como o explica o tratado Nedarim (22B). Além disso, a partir da doação destas segundas Tábuas da Lei, um raio de luz iluminou o rosto de Moshé.

17 DE TAMUZ dia de JEJUM