Amalec, o nazista

PALAVRAS DOS NOSSOS SÁBIOS COM RESPEITO A AMALEC

“Recorda o que te fez Amalec no caminho quando saíeis do Egito; que te encontrou pelo caminho e feriu todos os desfalecidos que ficavam atrás de ti, e tu estavas sedento e cansado; e Amalec não temeu a D’us. Quando, pois, o Eterno teu D’us, te der descanso de todos os teus inimigos em redor, na terra que o Eterno, teu D’us te está dando por herança para possuí-la, apagarás a memória de Amalec de debaixo dos céus; não te esquecerás.”

A ESTRATÉGIA DE AMALEC

“Ele atacou de surpresa toda tua gente, que estava enfraquecida” (Deuteronômio 25). Essav disse a Amalec: “Como me cansei para matar Iaacov e não consegui, é você que tem que me vingar!” Amalec lhe respondeu: “Como posso acabar com ele?” Essav lhe disse: “Tenha em conta a seguinte regra: quando veres que eles se enfraquecem moralmente, aproveita para atacá-los”. (Ialcut Shimoni).
- “que te surpreendeu no caminho”, Rabi Iehuda disse: - ele te esfriou (te sujou), outra tradução da palavra carecha (car = frio).
Os Sábios dizem: ele te esfriou na presença das nações do mundo; pode se comparar isso a uma banheira de água fervendo na qual ninguém pode entrar, mas vem um temerário e pula dentro; apesar de ter se queimado, ele a resfriou para os outros... Da mesma maneira, quando os Judeus saíram do Egito, todos os povos os temiam, como está dito: “Agora tremem os chefes de Edom; os valentes de Moav foram tomados de terror, consternados todos os habitantes de Canaan” (Êxodo 15, 15). Basta então que Amalec ataque os judeus, mesmo que sofra perdas, ele está contribuindo para diminuir o terror que eles inspiravam a essas nações.
- “Amalec era o primeiro dos povos, mas seu futuro está dedicado à perdição”. (Números 24, 20): o primeiro a fazer a guerra a Israel e destinado a perecer pelos Judeus. (Rashi).

A ORAÇÃO E A GUERRA

“Quando Moshé estava com os braços levantados, os Judeus dominavam” (Êxodo 17, 11).
Eram por acaso as mãos de Moshé que faziam a guerra?
Isso nos ensina que: enquanto os Judeus dirigiam seus olhares para o céu e se submetiam ao seu Criador, eles ganhavam a guerra, e quando não o faziam, sucumbiam. (Mishna Rosh Hashana).
“Moshé disse a Iehoshua: sai para combater Amalec. E Moshé, Aarão e Chur subiram ao topo do monte.”(Êxodo 17, 10)
Moshé deu a ordem a Iehoshua para combater Amalec para que ele possa orar, os braços elevados para o céu, e isto, do alto da colina para que todos possam vê-lo e que sua confiança em D’us aumente sua força. (Nachmanides).

COM RESPEITO À FALTA DE CONFIANÇA EM D’US

“... por causa da briga dos judeus, e porque eles tinham provocado o Eterno dizendo: “veremos se o Eterno está conosco ou não!” (Êxodo 17, 7).
- Este versículo da Torá precede a guerra com Amalec para ensinar: “Estou permanentemente entre vocês e à disposição de vocês para todos os vossos problemas e vocês ousam dizer: “será que D’us está ou não está entre nós?”. Eu juro que o cão (Amalec) virá morder vocês e gritareis a Mim e sabereis então onde Eu estou”.
Isto pode ser comparado a um homem que carrega seu filho sobre os ombros e vai passear; seu filho deseja um objeto e pede: “Papai, me compra esse objeto” e seu pai lhe da o objeto, e assim repetidas vezes. Eles encontram alguém a quem a criança pergunta: “Você viu meu pai?” Seu pai lhe responde: “Não sabes onde estou?” Ele o tira de sobre os ombros e um cão vem mordê-lo... (Rashi, Êxodo).

PELO FATO DE TEREM PROFANADO O SHABAT

Se o povo Judeu tivesse observado o primeiro Shabat, nenhuma nação teria tido influência sobre ele, como está dito: “Era o sétimo dia, e alguns do povo foram para a colheita” (Êxodo 16, 27) e logo depois “Veio Amalac”. (Tratado Shabat).

AMALEC PARA RECORDAR OS PECADOS

Isso pode ser comparado a um rei que possuía um vinhedo e o havia cercado e tinha colocado um cão feroz. O rei disse: “Qualquer um que venha e abra a cerca será mordido pelo cão!
O filho do rei veio, abriu a cerca e foi mordido; cada vez que o rei quer recordar ao filho seu erro, ele lhe diz: “Recorda o cão que te mordeu!”
Assim, toda vez que o Santo Bendito Seja quer recordar a falta dos Judeus, o que o povo fez em Refidim, dizendo: “Será que D’us está entre nós ou não?”, Ele lhes diz “Recorda o que Amalec te fez.”

A JUSTIÇA E A PIEDADE NA SUA JUSTA PROPORÇÃO

O Rei Shaul recebeu, ele também, a ordem de destruir Amalec. Ele fez uma guerra vitoriosa contra ele mas poupou a vida do seu rei, Agag, bem como a do gado, que ele queria sacrificar, contrariamente à ordem de D’us. Esta desobediência lhe custou o trono de Israel em favor do Rei David.
- “Shaul teve pena de Agag” (Shmuel 1, 15) – Qualquer um que seja misericordioso com respeito aos que são cruéis, acabará sendo cruel com os que são misericordiosos; está de fato escrito mais adiante: “Eles passaram pela espada Nov, a cidade dos sacerdotes”, o exército de Shaul provocou um massacre de inocentes. (Ialcut Shimoni).

O COMBATE DE AMALEC

- Contra o Santo Bendito Seja – “Eles não temiam D’us”.
- Contra a Torá – “Ele te profanou no caminho”.
- Contra Israel – “Ele combateu o povo Judeu”.
Eles queimaram a Torá, destruíram o Templo e mataram os Judeus.


O COMBATE CONTRA AMALEC

- Por D’us – “Guerra de D’us contra Amalec”
- Pela Torá – “Apagarás a lembrança de Amalec”
- Para Israel – “Iehoshua enfraqueceu Amalec”
Se um membro das nações do mundo vem para se converter, aceita, mas se for descendente de Amalec, não. (Ialcut Shimoni).


“Recorda o que te fez Amalec no caminho quando saíeis do Egito; que te encontrou pelo caminho e feriu todos os desfalecidos que ficavam atrás de ti, e tu estavas sedento e cansado; e Amalec não temeu a D’us. Quando, pois, o Eterno teu D’us, te der descanso de todos os teus inimigos em redor, na terra que o Eterno, teu D’us te está dando por herança para possuí-la, apagarás a memória de Amalec de debaixo dos céus; não te esquecerás.”

“Recorda” verbalmente, “não esquece” mentalmente:

1) A Torá nos obriga a fazer desaparecer a lembrança de Amalec.
2) A Torá nos obriga também a recordar constantemente seus crimes e sua cilada, bem como a mencioná-los verbalmente para suscitar nossa inimizade com respeito a eles, já que nos está proibido esquecer seu ódio por nós. (Maimônides).
3) Nossos mestres instituíram a leitura pública da Parashá de “Zachor”, no Shabat que precede Purim:
- para justapor o dever de apagar a lembrança de Amalec ao de apagar a lembrança de Haman que era ele mesmo descendente de Amalec.
- E para fazer preceder a mitsvá de recordar os crimes de Amalec à de apagar sua lembrança, cuja realização ocorreu em Purim. A Torá menciona primeiro “Recorda” e logo depois “apagarás”, e é assim também na Meguila de Ester onde está escrito que se deve “comemorar e celebrar estes dias de geração em geração”(Ester 9, 28).
4) Pela leitura da Parashá “Zachor”, se cumpre este mandamento positivo, e é por isso que convém ouvir bem a leitura desta Parashá e prestar atenção a cada palavra e a cada letra, bem como ter a intenção de cumprir esta mitsvá.
5) Convém também ouvir bem as bênçãos da Torá antes desta leitura e pensar em cumprir esta obrigação. É por isso que não se deve chamar uma criança para a Torá quando se faz a leitura da Parashá Zachor.



Amalec, o nazista