MIKVÉ INTIMIDADE

O QUE É?

 

"Concentração” ou “acúmulo” de água (cf. Gênesis 1:10). O mikvé utilizado nos banhos rituais deve conter pelo menos 760 litros de água e deve ser suficientemente profundo para que um adulto fique totalmente coberto. Ele deve obedecer à todas as regras da Lei da Tora, a Halaha. O tratado Mikvaoth da Mishna estuda as regras de construção dos banhos rituais e as condições que devem ser obedecidas.

DESCRIÇÃO DE UM MIKVÉ

 

A primeira vista um mikvé parece uma pequena piscina: a água atinge a altura do peito, e em geral tem lugar suficiente para três ou quatro pessoas. Para facilitar o acesso, existem degraus no mikvé que ajudam a descer até a água.

Observando atentamente podemos descobrir numa das paredes, logo abaixo do nível da água, um pequeno buraco cujo diâmetro mede entre cinco e oito centímetros. Este detalhe, por mais insignificante que poça parecer, é que dá a esta piscina o status de mikvé.

Do outro lado da parede, correspondendo a esse buraco, podemos observar um alçapão amovível que recobre um bor  (ou cisterna), componente essencial do mikvé. Esse bor é uma pequena bacia que contém somente água de chuva. Como veremos adiante, a água da chuva deve penetrar nesse recipiente naturalmente. Podemos usar também água da fonte, ou ainda, em determinadas condições, água da neve ou de gelo derretido. Além de conter somente água de chuva, o bor deve ainda satisfazer duas condições: em primeiro lugar, seu conteúdo deve ser de pelo menos quarenta sea. A sea é uma antiga medida bíblica que equivale aproximadamente a dezoito litros de água; o mikvé deve então conter aproximadamente 760 litros de água.

        Por outro lado, o bor deve ser cavado diretamente no chão, o que exclui caixote ou banheira que podem ser desmontados e transportados.

        O próprio bor pode ser usado como mikvé, mas como é difícil trocar sua água, a não ser que chova abundantemente, ele serve de preferência de fonte para uma segunda bacia que recebe então o status de mikvé. Esse grande recipiente pode ser preenchido com água da cidade, mas essa água deve ser trocada sempre que for necessário. A única condição é que ele tenha uma ligação com a água do bor  a partir de uma abertura de pelo menos cinco centímetros de diâmetro. Na verdade, se houver uma comunicação entre os dois recipientes de maneira que a água possa se misturar, a água do recipiente maior adquire o mesmo status que a água do bor. Essa mistura de águas se chama hachaka. (As águas do Éden, Arié Kaplan)

IR NO MIKVÉ

A Pureza Familiar é a base verdadeira da saúde física, moral e  espiritual de toda a família.

Médicos, educadores e sociólogos concordam que a instabilidade da juventude, os jovens sem rumo na vida, a violência, a rebeldia, e a falta de união familiar ameaçam a sociedade em geral e são perigosos para cada individuo em particular. A Torá associa essa desordem familiar e social ao não cumprimento das leis da Pureza Familiar.

 

 

 

 

As Leis da Pureza Familiar asseguram o respeito mútuo entre marido e mulher e garantem a saúde dos filhos.

A Pureza Familiar é o segredo de nossa sobrevivência como povo e como indivíduo, uma garantia para o futuro

Nunca é tarde demais:

Mesmo que você seja casada há muito tempo

Mesmo que você já tenha filhos,

Mesmo que você já tenha atingido a idade da menopausa,

E que você nunca tenha respeitado as Leis da Pureza Familiar,

Você poderá começar a segui-las desde agora.