- 5 - Nissan

Ha Yom Yom Original: O Dia de Hoje

Edição de 1997

Única tradução autorizada para a língua portuguesa pela Kehos Publication

Traduzido por Rachel Catran e com o Rabinato do Rio de Janeiro, editado no jornal semanal Kol Hamoshiah de 1997 até 2007

Nissan


Terça 01 Nissan

Rosh Chodesh

§  Durante todo o mês, não se diz o Tachanun.

§  Depois de ter falado o Nassi (Sidur p. 368), se diz o “Iehi Ratson” (Sidur p. 368) que está impresso no Sidur Torá Or.

§  Os Leviim e os Cohanim dizem também o Nassi.

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Tazrya com Rashi

Tehilim: 1 a 9

Tania: A´h Mi... (p. Nun Guimel) Leyodeï `Chen

(Terça-feira, 1º de Nissan, no Haiom Iom Original, de 5703)

Meu pai (o Rebe Rashab) pediu ao seu cunhado, o Rabino Moshé Horenstein, que era um Cohen, que dissesse o “Iehi Ratson” que segue o Nassi. Ele lhe explicou que um Cohen ou um Levi devem também dizê-lo pelo fato da gestação de uma alma no interior de uma outra.

(O Nassi descreve o sacrifício dos doze chefes de tribo durante os doze dias da inauguração do Santuário. O Cohen e o Levi sabem que pertencem à Tribo de Levi. Entretanto o princípio da gestação das almas tem como conseqüência que eles podem também estar ligados a outras tribos.)

Quarta 2 Nissan

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Tazrya com Rashi

Tehilim: 10 a 17

Tania: Vechine Tsimtsum... (p.Nun Guimel) Avodatam

(Quarta-feira, Tazria no Haiom Iom Original, de 5703)

·  Hilulá do meu pai (o Rabino Rashab) que deixou este mundo na véspera de domingo 2 de Nissan 5680 (1920), em Rostov. É ali que ele descansa.

·  O primeiro discurso chassídico que ele pronunciou, após o falecimento do seu pai (o Rabino Maharash) foi proferido no segundo dia de Sucot de 5643 (1882). Ele começava por “Queter Itnu Lecha”, “eles Te darão uma coroa”.

·  O último discurso chassídico que ele pronunciou em vida foi feito durante a refeição de Purim de 5680 (1920). Ele começava por “Reshit ...............................”, “a primeira das nações é Amalec. Ele fixou um limite à escuridão”.

Quinta 3 Nissan

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de Tazrya  com Rashi

Tehilim: 18 a 22

Tania: Vechayinu Afilu...(p.106) Kemo Shekatuv Lekaman

(Quinta-feira, Tazria no Haiom Iom Original, de 5703)

Estes são alguns dos estudos que meu pai (o Rabino Rashab) tinha se fixado:

A cada dia, ele aprendia uma Parashá do Chumash com o comentário de Rashi. Ele recitava partes do Tanach de cor, um capítulo de Torá, um dos Profetas e um dos Escritos Sagrados, depois um capítulo da Mishná, um estudo profundo da Guemará (duas folhas por semana), um estudo do sentido simples da Guemará (três páginas por dia), um estudo do Talmud de Jerusalém, um estudo da literatura rabínica, a qual, entretanto, não era diária.

Durante o ano ele concluía o conjunto do Midrash Rabá, não estudando a Sidrá inteira quando esta era comprida e recuperando-se do que não tinha podido estudar, quando a Sidrá era curta.

Sexta 4 Nissan

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Tazrya com Rashi

Tehilim: 23 a 28

Tania: Ukesheossek... (p.106) Kemo Shekatuv Bezochar

(Sexta-feira, Tazria no Haiom Iom Original, de 5703)

O serviço de D’us de um comerciante está descrito em dois pontos principais:

·  O esforço sobre sua própria pessoa: durante sua atividade, durante os momentos livres, encontrando-se, por exemplo, na sua loja, ele aprenderá uma Mishná ou duas, um capítulo do Tania. Ele estudará de cor algumas palavras da Torá, do Chumash, Mishná, Tehilim, Tania, para recitá-los quando estiver andando na rua onde está situado o mercado.

·  O esforço com respeito aos outros: durante as discussões comerciais, ele introduzirá uma abertura na conversa para incluir uma história com um conteúdo que poderá ser guardado; encontrará o meio de destacar a importância do estudo ou de outras atividades similares.

Shabat 5 Nissan

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de Tazrya com Rashi

Tehilim: 29 a 34

Tania: Cap. 40: A´h... (p.Nun Che) Beari´chut

(Shabat, Tazria no Haiom Iom Original, de 5703)

No parágrafo “Retsé(Sidur p.91) do Bircat Hamazon (bênção que segue a refeição), se diz “Baal Haieshuot u Vaal Hanechamot”, “o Mestre da libertação e o mestre do consolo”, Baal a primeira vez, Vaal na segunda.

Meu avô (O Rabino Maharash) explicou o comentário dos nossos Sábios de acordo com o qual “não é o lugar do homem que o honra mas é ele que honra o lugar”. Ele indicou que a palavra Cavod tem dois significados:

Pode se aproximar de Caved, o fígado, como se diz (Shemot 7, 14): “o coração do Faraó é duro (Caved)”. Seu coração tinha ficado como um fígado (frio, insensível). Por outro lado, Cavod, honra, designa a revelação de uma Luz celestial que envolve o mundo.

É assim que esta passagem deve ser compreendida:

“Não é o lugar do homem que o honra”, que o esfria, o torna insensível. Muito pelo contrário, “é ele que honra o seu lugar”, porque ele possui a força necessária para aclará-lo com a luz da Torá e do serviço de D’us.

Quando uma alma entre num corpo, ela precisa jurar que vai ser Justa. Esta promessa tem por finalidade saciá-la de forças intensas que lhe permitam realizar satisfatoriamente a missão que lhe é confiada no momento desta descida (no mundo material). O que é verdadeiro para a descida da alma se aplica nos mesmos termos para cada um, qualquer que seja o local em que ele se encontre.

(Cada Judeu tem, portanto, a força para iluminar à sua volta, o local onde ele se encontra).

Domingo 6 Nissan 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de Metsora com Rashi

Tehilim: 35 a 38

Tania: Chagaa (Vesham Méïr... (p.110) Ratson Zo)

(Domingo, Metsora no Haiom Iom Original, de 5703)

A experiência demostrou que diminuindo as especulações, trabalhando de maneira firme e metódica, servindo-se do “prazer” da Torá quando “a mão direita aproxima e a mão esquerda afasta”, estamos certos de conseguir o sucesso, em particular para o que diz respeito aos pontos fundamentais da nossa fé.

(Nossos Sábios ensinam assim (Sota 47A) que precisa ter uma alta estima pelo próximo, e ao mesmo tempo, afastar suas más ações.)

Segunda 7 Nissan

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Metsora com Rashi

Tehilim: 39 a 43

Tania: Ubezé Yuvan... (p.110) Beraaya Mechemna

(Segunda-feira, Metsora no Haiom Iom Original, de 5703)

Na oração “Vaiehi Binsó” (Sidur p.189), dizemos “e segundo a vontade de todo Teu povo, a casa de Israel”.

O sobrenome do Admor Hazaquen era Baruchovitch, o do Admor Haemtsaí, Shneuri, o do Tsemach Tsedec, Schneersohn.

Terça 08 Nissan 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Metsora com Rashi

Tehilim: 44 a 48

Tania: Ki Kemo... (p.Nun Vav) Biperi Ets Chaïm

(Terça-feira, Metsora no Haiom Iom Original, de 5703)

Cada alma está investida de uma missão específica que ela assegura por seu intelecto e seus sentimentos, de acordo com sua natureza e seu caráter.

Está escrito (Tehilim 119, 98): “me da a sabedoria frente aos meus inimigos”. Quando se sente o efeito da má inclinação, podemos destacar os sentimentos naturais próprios, demostrar sabedoria, corrigir as características do temperamento e sujeitar as próprias forças ao serviço de D’us.

Quarta 9 Nissan

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Metsora com Rashi

Tehilim: 49 a 54

Tania: Vechiné Af Dede ´chilo... Beari´chut

(Quarta-feira, Metsora no Haiom Iom Original, de 5703)

Não são as casas e o dinheiro que constituem a riqueza judia. A eterna riqueza judia é a qualidade dos Judeus que respeitam a Torá e as Mitsvot, trazem ao mundo filhos e netos que respeitam a Torá e as Mitsvot.

Quinta 10 Nissan

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de Metsora com Rashi

Tehilim: 55 a 59

Tania: Cap. 41: Beram... Avodat Eved

(Quinta-feira, Metsora no Haiom Iom Original, de 5703)

Com respeito à campanha cujo objeto é popularizar o respeito da pureza familiar na sua comunidade, é preciso meditar sobre o seguinte ponto:

Se D’us tivesse confiado a alguém a possibilidade de salvar uma cidade inteira da destruição, D’us nos livre, essa pessoa teria, sem dúvida alguma, aceito arriscar sua vida para consegui-lo e teria agradecido a D’us por Sua Bondade por ter-lhe acordado este mérito.

Acontece a mesma coisa, numa proporção talvez até mais importante, com respeito a esta campanha: ela permite salvar verdadeiramente vidas.

(Notar que no dia 10 de Nissan morreu Miriam, por mérito da qual os Judeus dispuseram do poço que lhes permitiu respeitar a pureza familiar no deserto. Por outro lado, o Rambam diz “se uma criança se nutre durante a gestação com sangue sadio mas manchado pelo estado de Nida, por não ter respeitado a pureza familiar, isto a afetará e ela nascerá coberta de chagas e de úlceras. De acordo com o conselho de nossos sábios, ele será um “Metsora”, um leproso”.)

Sexta 11 Nissan

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Metsora com Rashi

Tehilim: 60 a 65

Tania: Vechiné Chashem... (p.112) Utefiline

(Sexta-feira, Metsora no Haiom Iom Original, de 5703)

No dia do seu aniversário, um homem deve se isolar, evocar suas lembranças e meditar sobre elas, reparando tudo o que deve sê-lo e fazendo Tshuvá.

(Foi nesta data que o Rebe nasceu em 5662 (1902), para longos dias e bons anos, para a libertação e a eternidade).

Shabat 12 Nissan

(Shabat, Metsora no Haiom Iom Original, de 5703)

Shabat Hagadol

·  Haftará: Vearbaa Anashim

·  Em Mincha se diz Avadim Hainu (na Hagadá de Pessach)

(Durante o Shabat Hagadol, após Minchá, se diz desde “Avadim Hainu” até “Lecaper Al Col Avonoteinu”, porque então começaram a libertação e os milagres. Este é o nosso costume).

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de Metsora com Rashi

Tehilim: 66 a 68

Tania: Vegam Itbonen... (p.112) Vechamoa´h `Chulu

Desde a saída do Egito, os filhos de Israel são chamados Tsivot Hashem, os exércitos de D’us (Shemot 12,4). A diferença entre servidores, termo que qualifica também os Judeus e exércitos, é a seguinte:

O servidor executa o trabalho do seu senhor, que pode receber diferentes formas: um vai enfiar pérolas, o segundo fará outros trabalhos minuciosos, enquanto um terceiro se ocupará com trabalhos simples. Deste último, se espera cansaço e muitos esforços. Para isso, não se pede dele que faça doação da sua própria vida.

O exército está composto de servidores que desenvolvem a sua tarefa sem poupar seu cansaço, com muitos esforços, tanto durante uma guerra defensiva quanto durante uma guerra ofensiva. Eles se mantêm em seus postos com a maior determinação, sem assustar-se diante do oponente e do inimigo. Seu serviço não está baseado na sua compreensão, porque agem em função das instruções dos seus oficiais.

No Egito os Judeus foram vítima de uma profunda degradação. Eles estavam submetidos a horríveis e amargas provas. Apesar disso, não mudaram seus nomes, sua língua e seus hábitos distintivos. Permaneceram nos seus postos, com a maior abnegação. Sabiam, de fato, que D’us lhes havia assegurado que Ele os libertaria.

Aquele que, em tais condições, adota uma atitude similar, pertence ao exército de D’us, Que vem em seu auxílio, de maneira natural mas transcendendo a natureza.

Domingo 13 Nissan 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 69 a 71

Tania: Ubeatifat Tsitsit... (p.Nun Za6in) Leadono Umalko

(Domingo, Acharei Mot no Haiom Iom Original, de 5703)

É a Hilula do Tsemach Tsedec, que deixou este mundo em 5626 (1866), em Lubavitch, onde foi enterrado.

Esta é uma das histórias do meu avô (o Rabino Maharash):

O Tsemach Tsedec começou a redigir dissertações eruditas sobre o Talmud e comentários de Chassidut com a idade de doze anos.

(Este dia é também o da Hilula de Beit Iossef. Uma alusão a este fato pode ser encontrada na Meguila (3,12): “e foram chamados os escribas do rei (o Beit Iossef e o Tsemach Tsedec), o primeiro mês, o décimo terceiro dia do mês).

Segunda 14 Nissan

·  Se procura o Chamets depois de Arvit.

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 72 a 76

Tania: Ma Sheen Ken... (p.Nun Zaïn) Layodeïm

(Segunda-feira, Acharei Mot no Haiom Iom Original, de 5703)

Na família do Rebe, não se encarrega o Rav da venda do Chamets, mas se vende diretamente a ele, com um terceiro que atua como fiador.

Quando se assavam as Matsot Shmurot, na véspera de Pessach, de tarde, meu pai (o Rebe Rashab) estava presente pessoalmente. Ele dizia também o Halel mas o interrompia, se necessário, no meio de um parágrafo, para indicar como amassar, assar ou fazer os outros trabalhos.

Terça 15 Nissan 5703

Primeiro dia da festa das Matsot

(É assim que essa festa é chamada na Torá, em vez de Pessach. D’us faz dessa maneira o elogio dos filhos de Israel, constatando que eles deixaram o Egito às pressas e não se perguntaram como poderiam assegurar sua subsistência no deserto.

Nós mesmos, pelo contrário, falamos de Pessach para fazer o elogio de D’us, Que “passou por cima das casas”. Alguns consideram que o nome de Pessach foi instaurado em lembrança ao Templo)

·  Para o Maror e o Chazeret, nosso costume consiste em colocar juntos raiz forte e salada sobre o prato do Seder

·  O Quidush é proferido de pé (como em Shabat ou em Iom Tov ).

·  A Hagadá começa com “He Lachma” e não “Há Lachma”.

·  Quando se faz a bênção sobre o Maror, se pensa em fazê-la também para a sua segunda parte, a do Corech, que é consumido entre dois pedaços de Matsa.

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 77 e 78

Tania: Vechiné... (p.114) Uvushechen Kenizkar

(Terça-feira, Acharei Mot no Haiom Iom Original, de 5703)

Meu pai (o Rabino Rashab) encurtava o primeiro Seder, para comer o Aficoman antes do meio da noite. Pelo contrário, ele o esticava o segundo, que começava às nove horas da noite e se prolongava até três ou quatro da manhã. Na oportunidade, ele comentava longamente a Hagada.

O Admor Hazaquen disse:

“A Matsa da primeira noite é um alimento de fé; a da segunda noite, um alimento de cura. Quando a cura conduz à fé, quando se agradece a D’us por ter se curado, houve uma doença. Mas quando a fé leva à cura, a priori, não houve doença.”

(De acordo com os termos do Rambam: “aquele que adota os comportamentos que ensinamos, garanto que não sofrerá nenhuma doença ... será inteiro de corpo ... todos os dias”.)

Quarta 16 Nissan

Segundo dia da festa das Matsot

Primeiro dia do Omer

A segunda noite da festa das matsot, o Shema Israel antes de dormir se diz como nos dias de Iom Tov.

{Por outro lado, a primeira noite é chamada “noite de proteção”. Lê-se então unicamente o primeiro parágrafo do Shema (Sidur p. 119) e abênção “Hamapil” (p. 123).}

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii  de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 79 a 82

Tania: A´h Omnam... (p.114) Ata Vechagavna

(Quarta-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

Aquele que não tem pai, D’us nos proteja, também deve dizer, antes do “Ma Nishtaná”, a fórmula “Pai, eu te farei quatro perguntas”.

Dentro do mesmo espírito, aquele que já perdeu seu pai e sua mãe, deve também dizer, no Bircat Hamazon (que segue as refeições), “Possa Ele abençoar o meu pai e a minha mãe” (Sidur p. 93).

Quinta 17 Nissan

Segundo dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 83 a 87

Tania: Vechiné Bea´chana...(p.114) Kenoda

(Quinta-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

“Este (Zé), que comenta amplamente a saída do Egito, é digno de elogio”.

O termo Zé indica um nível do Sagrado, como está dito: “Este (Zé), é o nosso D’us”. Aquele que multiplica as explicações relativas à saída do Egito enriquecerá o Zé, o elemento de Santidade que ele leva dentro de si.

Sexta 18 Nissan

Terceiro dia do Omer

(Sexta-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

·  Em Mincha, se diz “Ptach Eliahu” e não “Hodu”, (Sidur p. 124/125).

(Este é o caso quando Iom Tov ou Chol Hamoed cai numa sexta feira. Mas se Iom Tov é em Shabat, se diz “Hodu” na sexta feira em Mincha).

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 88 e 89

Tania: Vechiné Kol... Ve´chulu Kenizkar Léeïl

Em 5608 (1848), o Tsemach Tsedec proferiu um discurso chassídico iniciado pelo versículo “se emprestas dinheiro (Quessef) ao Meu povo”.

O dinheiro faz alusão à alma, que sente uma sede (Quossef) e um desejo perpétuo de se elevar, como está dito: “o espírito do homem sobe para as alturas”. O termo “homem” designa aqui a alma judia, porque está dito “vocês (Israel) são chamados homens”.

A alma é emprestada para o homem e está escrito: “dias foram criados”. O número dos dias da existência é fixado para cada um. Ora, “se falta um dia, falta uma roupa”.

(Este versículo figura no estudo do Chumash deste dia. As Mitsvot que o homem cumpre durante sua vida física constituem as vestimentas da sua alma.

Por outro lado, este dia é o aniversário do nascimento do Rabi Lévi Itschac, o pai do Rebe Shlita de Lubavitch, em 5638 (1878). Nesta data, celebrou-se a circuncisão do Rebe Shlita, em 5662 (1902). O Rabino Lévi Itschac explicou na oportunidade o significado destes dois acontecimentos.)

Shabat 19 Nissan 5703

Quarto dia do Omer

(Shabat, no Haiom Iom Original, de 5703)

·  Se diz (na oração Lecha Dodi)

Gam Besimcha uBetsahala” (com júbilo y alegria) (Sidur p. 132).

·  As orações “Shalom Aleichem”, “Eshet Chail”, “Mizmor Ledavid”, “Da Hi Seudatá” e “Vaiten Lecha” são proferidas em voz baixa (Sidur p. 144-146; 235).

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 90 a 96

Tania: Cap.42: Vechiné...(p.118) Yada Vegomer

Meu pai (o Rabino Rashab) explicou, uma vez, as quatro perguntas do “Ma Nishtana”:

Em que esta noite é diferente de todas as outras noites?” Em que o presente exílio, comparado com a noite, é diferente dos precedentes?

Todas as noites, não mergulhamos nossos alimentos, nem mesmo uma só vez. Esta noite, os mergulhamos duas vezes”. Mergulhar significa se enxaguar, se clarificar e se purificar. Nos exílios precedentes, a purificação não foi total. Por isso, eles foram seguidos por outro exílio. Este, pelo contrário, vai trazer ao mesmo tempo a purificação do corpo e a revelação da alma.

Todas as noites, comemos Chamets ou Matsa. Esta noite, somente Matsa. Nos outros exílios, o esforço, mesmo depois do final do exílio, emanava da alma divina, à qual a Matsa, símbolo da submissão, faz alusão; mas provinha também da alma animal, que evoca o Chamets, fazendo pensar no orgulho. Mas depois deste último exílio, “o espírito da impureza será retirado da terra”.

Todas as noites, comemos todo tipo de legumes, esta noite, somente ervas amargas”. Quando alguém sente ciúmes, seu rosto fica verde (como um legume). Em cada exílio, houve várias formas de ciúmes, por exemplo a rivalidade entre os eruditos. Este último exílio conhecerá o mais alto ciúme, como foi dito: “Cada Justo terá ciúmes do pálio construído para seu amigo”.

Todas as noites, comemos sentados ou recostados. Esta noite, estamos todos recostados”. As revelações do exílio (o comer) suscitam o prazer. A essência do prazer se distingue da sua emanação. Uns terão, por seu esforço, acesso ao primeiro, o outro só terá o segundo. Após este exílio, pelo contrário, todos os Judeus alcançaram a essência do prazer.

Domingo 20 Nissan 5703

Quinto dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 97 a 103

Tania: Vekoa´h...(p.118) Kemo Shekatuv Sham

(Domingo, no Haiom Iom Original, de 5703)

Durante uma festa de Pessach, o Rabi Chaim Avraham, filho do Admor Hazaquen, fez uma visita ao irmão, o Admor Haemtsaí, para desejar-lhe boas festas. O Rabino Chaim Avraham trouxe, nesta oportunidade, os seguintes assuntos do Admor Hazaquen:

“Em Pessach, não se deve oferecer comida ou bebida ao seu convidado. Pelo contrário, este pode se servir sozinho”.

(Algumas pessoas adotam, de fato, regras muito restritivas em Pessach, que as impedem de consumir algo que não tenha sido preparado por elas mesmas. Oferecer alimento a uma pessoa assim poderia deixa-la sem graça).

Segunda 21 Nissan

Shevii Shel Pessach

Sexto dia do Omer

·  Ao ler o Cântico do Mar, é preciso ficar de pé.

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 104 e 105

Tania: Vechashenit...(p.Same´h) Shomaat `Chulu

(Segunda-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

Em Lubavitch, existia o costume de passar em claro a sétima noite de Pessach, Shavuot e Hoshana Raba.

Quando eu tinha nove anos, eu já não ia dormir em Shevii Shel Pessach. Precisa estudar durante toda esta noite.

Terça 22 Nissan 5703

Acharon Shel Pessach

Sétimo dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 106 e 107

Tania: Vegam...(p.120) Kenizkar Léeïl Perek Beth

(Terça-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

·  Durante o dia esforçar-se para adotar a seguinte ordem. Dizer primeiro o Quidush. Dizer depois a oração de Mincha. Depois, fazer a refeição da festa.

(Desta maneira, se estabelece um paralelo com a terceira refeição do Shabat, que é também feita depois de Mincha).

·  Baal Shem Tov fazia três refeições em Acharon Shel Pessach.

·  Ele chamava a última refeição de Acharon Shel Pessach de “Seuda de Mashiach”. É em Acharon Shel Pessach que se consome a refeição do Mashiach, porque um raio da clareza messiânica ilumina então de maneira evidente.

Em 5666 (1906), pela primeira vez, os alunos da Ieshiva Tomchei Temimim, em Lubavitch, fizeram juntos sua refeição, em Pessach, na grande sala de estudo. Tinha na época 310 alunos e dezoito mesas. Meu pai (o Rabi Rashab) compartiu a comida de Acharon Shel Pessach com seus alunos. Ele pediu que se distribuíssem quatro copos de vinho e cada um disse:

“Esta é a refeição do Mashiach”.

(Claro, isso não ocorreu apenas naquele ano. A prática foi adotada também posteriormente.)

Quarta 23 Nissan

Isru Chag

Oitavo dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 108 a 112

Tania: Vechiné Kol...(p.Same´Alef) Le´chol Yodeï ´Chen

(Quarta-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

A presença de Mashiach se revela durante o Acharon Shel Pessach. Está, então, ao alcance de cada Judeu.

Pessach simboliza o “salto para frente” (mais do que a ordem estabelecida). É também uma “noite de proteção” (propícia para a redenção). De modo geral, esta festa é percebida como um tempo de liberdade. Depois, quando ela termina, entramos no mundo exterior. E é neste momento que a revelação de Mashiach intervém, trazendo a firme resolução necessária para se manter neste mundo.

Quinta 24 Nissan

Nono dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de  A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 113 a 118

Tania: Veod Zot...(p.Same´h Alef) Yadav `Chulu

(Quinta-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

É costume não fazermos a bênção de “Shehechianu” durante o período do Omer.

Todos possuímos dentro do nós o que não revela o bem. O bode expiatório, simbolizando o mal, que era enviado para o Azazel, era uma parte integrante do serviço divino realizado no Templo. Cada criatura material tem sem falta dentro dela, um elemento negativo. É preciso, portanto, mandá-lo para o mal, para uma “terra inculta”.

Sexta 25 Nissan

Décimo dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 119, do versículo 1 a 96

Tania: Vegam Lichyot... Kemoshekatuv Bemakom A´cher

(Sexta-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

O esforço de cada um no serviço de D’us deve estar na medida do seu caráter e das suas qualidades. Uma pessoa pode ter a capacidade de enfiar pérolas ou de talhar pedras preciosas mas ela se contenta com cozer pão (o equivalente desses trabalhos para o serviço de D’us seria facilmente percebido). Esta pessoa cumpre sem dúvida alguma uma tarefa de grande utilidade. A mesma, entretanto, será contada para ele como um pecado)

(Chet, o pecado, significa também uma falta de.)

Shabat  26 Nissan

Décimo primeiro dia do Omer

·  Abençoa-se o Rosh Chodesh Iiar.

·  Lêem-se todos os Tehilim, pela manhã.

·  É um dia de Farbrenguen.

·  Haftará: Halo Kivnei Kouchim

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de A´chareï Mot com Rashi

Tehilim: 119, do versículo 97 ao fim

Tania: Cap.43: Vechiné...(p.24) Lekaman

(Shabat, no Haiom Iom Original, de 5703)

Este é um extrato de um discurso do meu pai (o Rabi Rashab):

“A Chassidut pede que se aplique o versículo ‘ele lavará a sua carne na água e se vestirá (de roupas sacerdotais)’. Compreender a Chassidut, é lava a carne e o que lhe é inerente, quer dizer todos os hábitos que elas geram. E então é possível revestir-se com roupas sacerdotais.

Pensar na Chassidut, falar dela, adotar os comportamentos dos Chassidim, meditar antes da oração, são ‘vestimentas sacerdotais’, que pertencem à Santidade. Por outro lado, ‘lavar sua carne na água’ só é possível pagando o preço de um esforço pessoal.

As vestimentas da alma são dadas de cima para cada um. Por outro lado, lavar o que é inerente à natureza do corpo, conduzir sua carne à Santidade, só pode ser realizado pelo esforço do homem.

É isso que a Chassidut pede. Nosso grande mestre, o Admor Hazaquen, fez doação de si mesmo para que se cumpra este ideal. Ele abriu o caminho da total abnegação para o serviço de D’us pela oração, para se ligar à Essência de D’us. A Chassidut coloca o Chassid frente a frente com a Essência divina.”

Domingo 27 Nissan 5703

Décimo segundo dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon  de Kedoshim com Rashi

Tehilim: 120 a 134

Tania: Vechiné Be´chinat...Leyodeï `chen

(Domingo, no Haiom Iom Original, de 5703)

Aquilo que é permitido mas que só é cumprido pelo seu prazer é totalmente ruim, como o explica o Admor Hazaquen (Tania, capítulo 7). O que está dito é “santifica-te dentro do que te está permitido”.

Precisa, portanto, introduzir a Santidade nas coisas permitidas, fazendo delas instrumentos de reforço da Torá, das Mitsvot, do temor de D’us e das qualidades positivas do caráter.

Segunda 28 Nissan

Décimo terceiro dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Kedoshim com Rashi

Tehilim: 135 a 139

Tania: Cap. 44: Vechiné Kol...(p. Same´ Guimel) Tsafra `Chulu

(Segunda-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

Alguns Chassidim perguntaram ao Admor Hazaquen:

“Qual é a forma do serviço de D’us mais elevada, o amor a D’us ou o amor a Israel?”

Ele respondeu:

“O amor a D’us e o amor a Israel estão ambos incrustados na Neshamá, no Ruach e o no Nefesh, as três partes da alma que cada Judeu possui. O versículo diz claramente: “Eu os amei, diz o Eterno”. Decorre disso que o amor a Israel é mais elevado, já que se ama aqueles que Aquele que amamos ama.”

Terça 29 Nissan 5703

Décimo quarto dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Kedoshim com Rashi

Tehilim: 140 a 144

Tania: Vechava Rabba...(p.126) Téva

(Terça-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

A introdução ao “Licutei Torá sobre três Parashiot” é um discurso chassídico que começa com as palavras “para entender o sentido da alma divina, como está escrito: ‘não comam’ ”. Este foi, em sua origem, pronunciado pelo Admor Hazaquen diante do Tsemach Tsedec.

Este último o repetiu na sua presença e o Admor Hazaquen lhe disse: “Bom! Qual o perfume que você lhe acrescenta?”

O Tsemach Tsedec redigiu, então, este discurso e acrescentou-lhe notas de pé de página. O Admor Hazaquen corrigiu este texto e pediu para introduzir as notas no corpo do discurso.

De acordo com a opinião do meu pai (o Rabi Rashab), é este o discurso que foi escolhido como introdução ao “Licutei Torá sobre três Parashiot”(do Rabi Maharash).

Quarta 30 Nissan

Primeiro dia de Rosh Chodesh

Décimo quinto dia do Omer

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii  Kedoshim com Rashi

Tehilim: 145 a 150

Tania: Veaf Im...(p.126) Metsarfa `Chulu

(Quarta-feira, no Haiom Iom Original, de 5703)

Os Farbrenguens da terceira refeição do Shabat, aqueles do Shabat que abençoa o mês, os dos dias de festas, dos Rosh Chodesh e das celebrações chassídicas acontecem na sinagoga.

Os Farbrenguens de Melavé Malca (na saída do Shabat) ocorrem no domicílio dos Chassidim.


 "Todos os Direitos Reservados", que indica que aquela obra está protegida por lei e não poderá ser copiada sem autorização do autor.
©RABINADO DO RIO DE JANEIRO