adultério

O Sétimo Mandamento: não cometer adultério

“Não cometerás adultério”

Hashem castiga muito severamente a transgressão da proibição de adultério: Ele tem paciência com todos os pecados exceto para imoralidade.

Nossos sábios ensinaram em nome de rabi Chanina: “uma pessoa que comete um adultério transgride os dez mandamentos.”

Alguns ficaram perturbados com essa afirmação e foram falar com Rabi Chanina para pedir-lhe uma explicação. Disseram: “Concordamos cm o fato de um homem ou de uma mulher adúltera transgredir os seguintes nove mandamentos:

·  “Eu sou teu D’us”: seu ato é comparável à idolatria. Da mesma maneira que ela abandonou seu marido por outro homem, assim também ela é suscetível de abandonar Hashem para servir ídolos.

·  “Não terás outros deuses”: seu ato é comparável à idolatria. Assim como ela abandonou seu marido por outro homem, também é ela suscetível de abandonar Hashem para servir ídolos.

·  “Não jurarás em vão pelo Nome de Hashem”: já que a pessoa adúltera vai certamente jurar que é inocente.

·  “Honra teu pai”: porque a mulher adúltera vai dar à luz um filho que não saberá quem é seu verdadeiro pai e portanto não poderá honrá-lo.

·  “Não matarás”: já que qualquer pessoa culpada de adultério está determinada a matar ou a ser morta.

·  “Não cometerás adultério”.

·  “Não roubarás”: ele rouba a mulher de outro homem.

·  “Não testemunharás em falso”: já que a mulher adúltera assegurará ao seu marido: “estou grávida de você”.

·  “Não cobiçarás”: já que o culpado cobiça o que pertence ao marido desta mulher.

“Vemos assim como uma pessoa culpada de adultério transgride nove mandamentos. Mas não entendemos em que ele transgride o mandamento: ‘Recorda o dia de Shabat para santificá-lo’ ”

Rabi Chanina respondeu: “Tomem o caso de alguém que não é cohen e que comete um adultério com a mulher de um cohen. A criança será então um suposto cohen. Ele fera então a avodá no Beit Hamicdash mesmo no Shabat. Por exemplo, ele arrumará a madeira no Mizbeach e acenderá o fogo, o que só é permitido a um cohen. E ele que não o é, terá transgredido o Shabat.

Þ Nossos sábios incluem nesta proibição aquele que tira a parnassa (ganha-pão) de outro judeu abrindo uma loja concorrente na vizinhança imediata do outro. Nossos sábios explicam assim o passuc (Iechesquel 18:6) “...e ele não manchou a mulher do seu próximo”. É um elogio que foi dito a propósito daquele que não priva seu próximo da sua parnassa fazendo o mesmo comércio.