2. As Últimas Dores

B’SD

Faíscas de Mashiach

COMO UM NASCIMENTO

As últimas Dores

Nossos sábios comparam o processo da vinda de Mashiach ao da gestação e do nascimento. Este último pode dividido em três períodos:

a gestação propriamente dita, que pode ser acompanhada de algumas dores,

o final da gestação, quando as dores se tornam mais fortes e mais atormentadoras, e

o parto em que elas se tornam intensas para despontar na vida.

Do mesmo modo, a escuridão e os sofrimentos do exílio podem crescer; mas não é a tradução de um retrocesso com respeito ao objetivo a ser alcançado e sim a própria marca de um avanço.

Entretanto, a dificuldade do momento poderia conduzir a um desespero. Como ser capaz de suportar estas últimas “dores”. O Talmud, no tratado Sanhedrin, responde a esta pergunta: aquele que quer se proteger das “dores de parto” de Mashiach deve fazê-lo pela Torá e pela benificência”. Isto significa que ao estudar mais Torá, ao fazer mais Tsedacá, evitamos estes sofrimentos e ao mesmo tempo apressamos a vinda da redenção.