Mashiah Segundo o Rambam

“JUÍZES” – Leis dos Reis (de Israel)

Capítulo XI


1.   O Rei-Messias erguer-se-á, no futuro, e restaurará o reinado de Davi como nos dias de outrora, e a sua soberania original; reconstruirá o Templo e reunirá os dispersos do povo judeu. Voltarão a vigorar então todas as leis, como antigamente. Realizar-se-ão sacrifícios, comemorações de anos sabáticos e jubileus, de acordo com as orientações que constam na Tora. Todo aquele que não acredita nele ou que não espera pela sua vinda, não renega apenas os outros profetas da Tora, mas a própria Tora e Moshé Rabênu, pois a Tora garantiu a sua vinda, como está escrito: “... Então o Senhor teu D.. S mudará tua sorte para melhor e se compadecera de ti... e te reunirá de entre os povos nos quais te havias dispersado”(Dt 30:3-5). Estas palavras explícitas da Tora já incluem tudo o que foi dito pelos profetas. Na própria parashá de Bilam (Nm 24:17,18) consta uma profecia sobre os dois Messias, referindo-se ao primeiro, o rei Davi, que salvou o povo judeu de seus opressores, e ao último Messias, que será seu descendente e redimirá o povo judeu no final: “Eu o vejo – mas não agora” (refere-se ao rei Davi); “eu o contemplo – mas não de perto”(refere-se ao Rei-Messias); “uma estrela procedente de Jacó” (este é Davi); “um cetro erguer-se-á de Israel” (o Rei-Messias); “e esmaga as cabeças de Moabe”: trata-se de Davi, como está escrito: “Ele venceu os moabitas e os mediu com cordel” (II Sm 8:2);  “e dominará todos os filhos de Set”; – trata-se do Rei-Messias, sobre quem está escrito: “O seu domínio irá de mar a mar” (Zc 9:10); “Edom se torna uma possessão”– tal passagem refere-se a Davi, como está escrito: “e os idumeus se tornaram súditos de Davi...” (II Sm 8:6); “e Seir será uma herança...”: aqui a referência é para o Rei-Messias, como está escrito: “E os salvadores  subirão a montanha de Sião para julgar a montanha de Esaú. Então este reino pertencerá ao Senhor” (Ab 1:21).

2.   Mesmo com relação às cidades de refúgio, está escrito: “Quando o Senhor alargar as tuas fronteiras... acrescentarás ainda mais três cidades ... “Dt 19:8,9); isto ainda não ocorreu, e D..S não ordenou  isto à toa. Quanto aos profetas, nem é preciso mencioná-los pois suas profecias estão cheias.

3.   Não penses que o Rei-Messias precisa fazer sinais e maravilhas, criar algo novo, ressuscitar os mortos ou realizar algum ato do gênero. Não é assim: Rabi Akiva, que foi um grande sábio dentre os sábios da Mishná, e também o arauto do rei Bem Coziva, dizia que aquele rei era o Rei-Messias. Ele e os sábios de sua geração acreditavam que o mesmo era o Rei-Messias, até que foi morto pelo pecado. Quando (Bem Coziva) foi morto, todos souberam que ele não era o Rei-Messias – os sábios não lhe pediram sinal ou maravilha. O principal é o seguinte: A Tora, seus estudos e suas leis são eternos, nada se pode acrescentar ou subtrair deles.

4.   Um rei descendente de Davi, que se erga e se aprofunde no estudo da Tora, se ocupe com os Mandamentos como o seu ancestral Davi, seguindo a Tora Escrita e a Oral, que induza todo o povo judeu a andar nelas, a reforçar as suas brechas e a guerrear as batalhas do Senhor: este provavelmente será o Messias. Se ele fizer tudo, for bem-sucedido e construir o Beit Hamicdashe no seu devido lugar, reunindo o povo judeu, será o Messias com certeza, e restabelecerá o mundo todo fazendo todos servirem a D...S, juntos, como está escrito: “Então, darei aos povos lábios puros, para que todos possam invocar o nome do Senhor e servi-Lo sob um mesmo jugo” (Só 3:9). Se ele não vier e lograr tal êxito ou se for morto, saber-se-á então que não era quem a Tora nos garantiu, que era apenas um como todos os reis da casa de Davi, íntegros e bons, mas que faleceram. D.. S só o terá feito existir para testar o povo: “Entre esses homens esclarecidos, alguns serão prostados, a fim de que entre eles haja os que sejam acrisolados, purificados e alvejados, até o tempo do Fim, porque o tempo marcado ainda está por vir” (Dn 11:35). Mesmo sobre Jesus, de Nazaré, que pensava ser Messias e que foi morto pelo Bet Din, já fora profetizado: “Muitos dentre o teu povo se insurgirão, erguendo-se como “profetas” e fracassarão” (Dn 11:14). Pode haver fracasso maior? Todos os profetas falaram que o Messias vem redimir o povo judeu e salvá-lo, reunir os seus dispersos e fortalecer os Mandamentos: aquele causou a perda do povo judeu pela espada, dispersou os seus sobreviventes e rebaixou-os, trocou a Tora e iludiu grande parte do mundo, para servir  a outros deuses além de D..S. Porém, não está ao alcance do homem captar as intenções do Criador, pois, “os Meus pensamentos não são os vossos pensamentos, e os vossos caminhos não são os meus caminhos” (Is 55:8), tudo o que fizeram Jesus de Nazaré e o ismaelita, que veio depois, é apenas uma forma de preparar o caminho para o Rei-Messias, moldando o mundo todo  para servir a D..S conjuntamente, como está escrito: “Então darei aos povos lábios puros, para que todos possam invocar o Nome do Senhor e servi-Los sob o mesmo jugo” (Só 3:9). De que maneira? O mundo todo está repleto das idéias do Messias, as palavras da Tora e os Mandamentos espalharam-se pelas ilhas mais longínquas e por inúmeros povos de coração duro, eles discutem todos esses assuntos e os mandamentos da Tora, dizendo: ‘estes preceitos são verdadeiros, porém não são mais obrigatórios hoje em dia.’ Outros dizem: ‘há mistérios, e é preciso dar uma interpretação diferente, pois o Messias já veio e revelou o segredo...’ Quando vier o Messias Verdadeiro, e quando ele triunfar, ele se elevará, então, de imediato, e todos reconhecerão que herdaram apenas falsidades de seus antepassados, e seus “profetas” e ancestrais os iludiram.

Capítulo XII

1.   Não penses que nos tempos do Messias algo da natureza do mundo será anulado ou que surgirá alguma inovação na criação – o mundo seguirá o seu rumo normal. Porém, o que está escrito em Isaías – “Então o lobo morará com o cordeiro, e o leopardo se deitará com o cabrito” (11:6) é apenas uma metáfora, uma analogia; significa que o povo judeu poderá habitar com segurança entre os gentios perversos, que são comparados ao lobo e ao leopardo: “... um lobo da estepe os fere, a pantera está à espreita em suas cidades” (Jr 5:6), pois todos voltarão à verdadeira fé e não roubarão nem destruirão, mas comerão o que é permitido, tranqüilamente, junto com o povo judeu: “O leão comerá feno como o boi”(Is 11:7). Da mesma forma, em relação ao Messias, todas as menções são parábolas, e só nos dias do Rei-Messias todos ficarão sabendo a que se referia esta parábola e qual era a alusão.

2.   Disseram os nossos sábios: Não há diferença entre os dias de hoje e a época do Messias, a não ser no tocante à nossa sbumissão aos outros  povos. Do ponto de vista dos profetas, parece que no início da Era Messiânica haverá a guerra de Gog e Magog, e antes dessa guerra erguer-se-á um profeta para endireitar os judeus e preparar os seus corações para D...S: “Eis que vos enviarei Elias, o profeta...” (Ml 3:23). Ele não viará para impurificar o puro nem para purificar o impuro; não virá para excluir do seu seio aqueles que atualmente são considerados de “boa linhagem”, nem para incluir em seu meio aqueles que até hoje eram de linhagem inaceitável. Ele virá trazer a paz ao mundo, como está escrito: “Ele fará voltar o coração dos pais para os filhos...” (Ml 3:24). Há alguns dentre os sábios que dizem que antes da vinda do Messias virá Elias. Tudo isso e todas as coisas do gênero ninguém saberá até que aconteçam, pois são coisas ocultas para os próprios profetas; os sábios não têm nenhuma tradição sobre isto; tem-se apenas o que consta na seqüência dos versículos – por isso há divergências a este respeito. Pelo menos, a seqüência dos fatos e os seus detalhes não são princípios básicos da nossa fé. Por isto, nunca se deve aprofundar nestes relatos nem se prolongar nas interpretações destes temas, nem lhes dar prioridade, pois não levam a pessoa a ter mais amor ou temor a D..S. Também não se deve calcular datas para a sua vinda. Os nossos sábios disseram: “que evole a alma daqueles que calculam o fim dos dias; é preciso esperar e ter fé nisto, como já foi explicado”.

3.   Nos dias do Messias, quando se estabelecer seu reinado e todos os judeus se juntarem a ele, então ele – pela Inspiração Divina – estabelecerá a linhagem familiar correta de cada um, como está escrito: “E se assentará aquele que funde e que purifica”(Ml 3:3);  no início ele purificará a tribo de Levi, dizendo “este é da linhagem de cohen”, este é Levi” e os demais serão classificados como “Israel”, como está escrito: “e o Tirshata proibiu-lhes... até que surgisse o sacerdote dos urim e tumim”  (És 2:63). Daqui se deduz que é através da Inspiração Divina que se estabelece o status das linhagens e se determina quem tem qual linhagem. A linhagem do povo judeu se desenvolveu de acordo com as suas tribos; porém, sobre aqueles  que tiverem linhagem não se dirá” este é mamzer”, “este é éved”, pois, por lei, toda família que se integrou no seio do povo judeu permanece nele.

4.   Os sábios e profetas não anseiam pela época do Messias para dominarem o mundo, nem para submeterem os povos, nem para serem elevados pelas nações; tampouco o fazem para comer, beber ou alegrarem-se, mas para estarem livres, a fim de que possam dedicar-se à Tora e sua sabedoria sem que haja opressão que os interrompa. Com isso serão merecedores da vida no mundo vindouro, como já foi explicado nas Leis do Arrependimento”.

5.   Nessa época não haverá fome, nem guerra, inveja, nem concorrência – o bem será abundante  e os deleites estarão disponíveis como o pó da terra. Não haverá  outra ocupação no mundo a não ser conhecer a D...S apenas. Por isso, o povo judeu terá grandes sábios e conhecedores das coisas ocultas, que captarão o saber do seu Criador de cordo com a capacidade plena do intelecto humano, como está escrito: “porque a terra ficará plena do conhecimento do Senhor, como as águas enchem o mar...” (Is. 11:9).

1. No Messias.

2.   Posteriormente a Moisés, o que seria dito depois pelos profetas.

3.   Os sábios debatem como será o “domínio sobre os filhos de Set” (terceiro filho  de Adão e Eva, do qual adveio toda a humanidade): uns acham que, após terem recebido os castigos merecidos, os outros povos serão redimidos, mas num nível inferior ao do povo judeu; outros sábios acham que eles não terão nenhum destaque, mas ficarão submetidos aos judeus.

4.   Leia Nm 35:9-34; Ex 21: 13, 14; Dt 19:1-13.

5.   De referências ao Messias.

6.   É o Bar Cohvá, que viveu 52 anos após a destruição do Beit Hamicdashe, liderando a revolta contra Roma do ano 135 da era comum.

7.   De assassinado o Rabi Elazar Há-Modaí.

8.   O Talmude, tanto o da Babilônia, como o de Jerusalém.Verna introdução.

9.   Contra os inimigos do povo judeu.

10.  Maomé. Os sábios explicam que todos os acontecimentos e fatos, individuais ou mundiais, são Providência Divina, são meios e caminhos, com o objetivo de revelar a Divindade, só que, se o homem ou pessoa tem mérito, essa Revelação vem pero lado positivo, e se não, pelo lado negativo.

11.  À liderança.

12.  Refere-se às futuras comunidades judaicas dispersas, às diásporas.

13.   Então, os animais serão dóceis, perderão o seu instinto selvagem.

14.  Como Maimônides explica nas suas “Cartas”, como também outros sábios, a chegada do Messias ocorrerá em várias etapas. Num primeiro momento, o mundo continuará como é agora, e depois, gradativamente, acontecerão grandes milagres e mudanças no mundo, até que acontecerá o maior milagre, que é a ressurreição dos mortos.

15.  A restauração da soberania do povo judeu em sua própria pátria.

16.  Gog é um rei.

17.   Magog é um país ou o seu povo. O chefe e seu povo lutarão contra o povo judeu.

18.  Ele não virá para alterar o que existe agora.

19.  Os judeus que não descendem de bastardos.

20.   E vice-versa.

21.  Para anunciar a vinda do Messias, para reorganizar o San ‘hedrin, etc.

22.  Do Messias.

23.  O Messias.

24.  Sacerdote.

25.  Neemias.

26.   Neemias declarou a todos aqueles que afirmavam serem cohen, mas que não podiam prová-lo, que eles não seriam considerados sacerdotes até que pudessem atestar suas linhagens.

27.  Vale dizer, até os dias do Messias.