Tenho orgulho de ser Yid

PARA SANTIFICAR O NOME DE D’US

Quando rabi Iossi ben Queisma ficou doente, rabi Chanina ben Teradion foi lhe fazer uma visita.

-  Chanina, meu irmão, lhe disse rabi Iossi, ignoras que é a vontade divina que deseja que Roma reine, este império que destruiu o Templo, queimou o santuário, massacrou justos e aniquilou os melhores dentre eles, e que apesar disso ainda existe! Mas fiquei sabendo a teu respeito que continuas estudando a Torá e que reúnes multidões em pleno dia, com um sefer Torá em teus braços. Acaso não sabes que os poderes o proíbem?

-  O céu terá piedade de mim, respondeu rabi Chanina.

-  Mas eu te explico coisas sensatas, rebateu rabi Iossi: o império destruiu o Templo, matou os justos e apesar disso está sempre em pé! E tu me responde “o Céu terá piedade!” Não me estranharia se te queimassem, a ti e a teu sefer Torá!

-  Qual será meu quinhão no mundo futuro? Perguntou rabi Chanina.

-  Se você fez por acaso uma boa ação, me conta ela para que eu possa saber como te conduziste.

-  Eu possuía um certa importância de dinheiro que eu guardava para a comida da festa de Purim. Esta quantia se misturou com dinheiro destinado à tsedaca ... Dei tudo aos pobres. E mesmo quando me dei conta que não se tratava de dinheiro destinado à tsedaca, não o peguei de volta.

-  Se é assim, e que renunciastes ao teu dinheiro, gostaria que minha parte fosse semelhante à tua e que minha sorte fosse a mesma que a tua!

Pouco tempo depois, rabi Iossi ben Queisma morreu. As mais grandes personalidades romanas seguiram seu enterro e fizeram elogios fúnebres em sua honra. Ao voltar desta cerimônia, esses romanos encontraram rabi Chanina estudando publicamente a Torá , grande multidões reunidas em torno dele e um sefer Torá apertado contra seu coração.

Imediatamente agarraram rabi Chanina, o envolveram com o rolo da Torá, dispuseram feixes de lenha em volta dele e colocaram fogo. Além disso, pegaram esponjas de lã embebidas em água e as colocaram sobre seu coração de modo a aumentar seus sofrimentos e suas dores, e a fazer sua agonia durar mais. Ao vê-lo sua filha suspirou:

-  Meu pai! Será este o salário da tua Torá? Mas ele lhe respondeu:

-  Se eu fosse queimado sozinho, a coisa me seria penosa. Mas como estão queimando o sefer Torá comigo, (sei) que Aquele que virá pedir contas a respeito dele também pedirá a respeito meu!

-  O que vês, rabi? Interrogaram seus alunos. (Ouviam o barulho das letras que voavam mas ignoravam o que isso significava) (Tossafot).

-  Vejo pergaminhos consumidos pelo fogo e letras voando!

-  Então abre a boca bem grande para aspirar o fogo (de modo a sofrer por menos tempo), aconselharam.

-  É melhor, replicou, que Aquele que me confiou minha alma a leve Ele mesmo de volta, sem que o homem lhe cause nenhum dano!

Quando o carrasco viu a extraordinária nobreza de alma de rabi Chanina e que ouviu o barulho das letras que voavam, se virou para ele e perguntou:

-  Rabi! Se eu aumentar o fogo e tirar as esponjas que estão sobre teu coração para provocar o teu fim, será que me farias ter acesso ao mundo vindouro?

-  Sim, respondeu rabi Chanina.

O carrasco, depois de pedir-lhe para jurar e que ele o cumpriu, retirou as esponjas de lã e atiçou o fogo até que a alma pura de rabi Chanina o abandone.

Enquanto o fogo rugia, o carrasco também se atirou no inferno e foi presa das chamas.

Um voz celestial se fez ouvir:

-  Rabi Chanina ben Teradion e seu carrasco estão convidados para o mundo vindouro!

Rabi começou a chorar e comentou:

-  Alguns adquirem sua vida futura num instante enquanto outros só chegam a ela depois de longos anos.