- 3 - Shvat

Ha Yom Yom Original: O Dia de Hoje

Edição de 1997

Única tradução autorizada para a língua portuguesa pela Kehos Publication

Traduzido por Rachel Catran e com o Rabinato do Rio de Janeiro, editado no jornal semanal Kol Hamoshiah de 1997 até 2007

Shvat

Quinta 01 Shvat

Rosh Chodesh

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de Vaéra com Rashi

Tehilim: 1 a 9

Tania: Ubebeïnoni... (p. Khaf Alef) Mireguiluto

A leitura diária dos Tehilim após a oração da manhã se refere sem distinção às sinagogas dos Chassidim Chabad, às dos Ashquenazim e as que seguem o rito polonês, possa D’us outorgar-lhes longa vida.

Por amor a cada Judeu e em mérito à grande importância e à finalidade profunda desta leitura pública, que exerce seu efeito literalmente no conjunto do povo judeu, nas suas necessidades materiais, “crianças, saúde e opulência” e também às espirituais, é nosso dever intervir por todos os meios possíveis para que essa leitura seja instaurada em todas as sinagogas, qualquer que seja o seu rito.

Sexta 02 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Vaéra com Rashi

Tehilim: 10 a 17

Tania: Ubézé Yuvan... Avodato Klal

Meu pai (o Rabino Rashab) contou:

“O discurso que começa pelo versículo “Eu Me revelei a Avraham, a Itschac e a Iaacov, mas Meu Nome Avaia, Eu não lhes dei a conhecer”, que estabelece que “ninguém de nós se perderá” (não se trata daquele que está impresso no Torá Or) foi cognominado “o pio Vaéra”.

O Admor Hazaquen tinha o costume de repeti-lo a cada três anos, cada vez com termos praticamente idênticos.

O Tsemach Tsedec disse:

“Era, cada vez, uma luz nova”.

Meu pai (o Rebe Rashab) explicou:

“Uma luz é sempre idêntica. Mas uma luminária recebe sempre uma dimensão nova”.

(Este discurso evoca a introspeção, a Tshuvá, o melhoramento constante. Ele convida aqueles que o estudam a intensificarem a sua “piedade”, por isso seu cognome.)

Shabat 03 Shvat 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de Vaéra com Rashi

Tehilim: 18 a 22

Tania: Cap.16: Vezé... Beari ´chut

O Torá Or foi impresso pela primeira vez em 5797 (1837), em Capust, sem seus anexos.

O Tsemach Tsedec, numa carta datada de 3 de Shvat do mesmo ano escreveu: “No livro Torá Or que acaba de ser impresso, encontram-se discursos pronunciados em sua maioria entre 5556 (1796) e 5572 (1812). Muitos deles foram examinados e editados por nosso mestre, de santa memória (O Admor Hazaquen), que deu seu acordo para que eles sejam impressos.

Este livro está composto por duas partes. A primeira trata dos dois (primeiros) livros da nossa Torá, de Chanucá e de Purim. Encontram-se também nela comentários sobre Shavuot, tempo da outorga da Torá, na Parashat Itró e alguns sobre Pessach, na Parashat Vaiakhel. A Segunda parte, com a ajuda de D’us, se referirá aos três outros livros da Torá, ao Shir Hashirim, às festas, Rosh Hashaná e Iom Quipur.

O nome do autor é bem adequado, Shneur, duas luzes, que tem, como Veahavta (e amarás), o valor numérico do dobro da palavra Or, luz (fim da citação)”.

Concretamente, apenas a primeira parte foi impressa. Uma denúncia levou as autoridades a decretarem o fechamento de várias tipografias judias na Rússia, incluindo a de Capust, onde o Torá Or tinha sido editado. Em 5608 (1848) a segunda parte foi impressa em Jitomir, com outro título, “Licutei Torá”.

(O valor numérico da palavra Or, luz, é 207. O de Veahavta, e amarás, é 414.

Domingo 04 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de Bo com Rashi

Tehilim: 23 a 28

Tania: Cap.17: Ubézé... (p.Khaf Guimel) Mitsvotav Vetorato

Mitsraim, Egito, vem de Metsar, obstáculo, limite. O exílio espiritual do Egito corresponde ao véu e à ocultação da alma divina pela alma animal, que a diminui e a escurece. A saída do Egito libera deste véu e deste entrave. Assim, o intelecto do cérebro ilumina o coração, confere traços de caráter virtuosos que

Segunda 05 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Bo com Rashi

Tehilim: 29 a 34

Tania: Vezé Kol... Charamaz Sham

Devemos dizer muitas palavras da Torá, Tehilim, repetir a Mishná quando e onde podemos. Desta maneira, reforçaremos os alicerces do mundo, nos preservaremos do Chibut Haquever e do Caf Haquela e mereceremos as mais altas revelações divinas.

Terça 06 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Bo com Rashi

Tehilim: 35 a 38

Tania: Vechi Be´chinat... Kemo Shekatuv Bemakom A´cher

Meu pai (o Rabino Rashab) escreve que ouviu, em nome do Admor Hazaquen, a seguinte precisão. Todos os Decisionários, inclusive o Taz e o Shach, redigiram suas obras com a inspiração divina. Esta é definida pelo Corban Haéda, no final do terceiro capítulo de Shcalim (do Talmud de Jerusalém). Permite a revelação dos segredos da Torá. Esta revelação se origina de Chochmá, no estágio precedente à sua revelação.

(O Taz é o Turei Zahav, obra haláchica de Rabi David Halevi, que deixou este mundo em 1667. O Shach é Siftei Cohen, coletânea de Halachá cujo autor é o Rabi Shabtai Cohen, que deixou o mundo em 1621-1622).

Quarta 07 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Bo com Rashi

Tehilim: 39 a 43

Tania: Cap.18: Uletossefot... (p.46) Gam De´chilo

Quando o Admor Hazaquen tinha a idade de nove anos, ele estudou a geometria e a astronomia. Com a idade de dez, ele compôs um calendário para quinze anos. Com doze anos, teve a oportunidade de ensinar publicamente as Leis da santificação do novo mês de acordo com o Rambam. E os grandes eruditos que estavam presentes na casa de estudos ficaram literalmente admirados.

(Notamos que a passagem de Chumash que se estuda neste dia evoca a santificação do novo mês. Estas leis, tais como o Rambam as expõe, apresentam cálculos astronômicos complexos, destinados a prever os aparecimentos da lua).

Quinta 08 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de Bo com Rashi

Tehilim: 44 a 48

Tania: Vachainyan... (p.Khaf Dalet) Guilgulim

Nesta época precisa, enquanto pela graça de D’us nos encontramos no limiar da redenção, nos corresponde reforçar de todas as maneiras possíveis, cada aspecto da nossa religião.

Os Mandamentos devem ser cumpridos da melhor maneira. Os costumes devem ser escrupulosamente respeitados, sem nenhum compromisso. É uma obrigação e um dever para cada Rav, em Israel, informar à sua comunidade que os sofrimentos e as penas correntes são as dores de parto de Mashiach.

O Eterno, nosso D’us, nos pede para retornar à Torá e aos seus Preceitos, para não atrasarmos a vinda iminente de Mashiach.

Sexta 09 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Bo com Rashi

Tehilim: 49 a 54

Tania: Chiné Cha ´cho´chma... Umuvan

Quando meu pai (o Rebe Rashab) concluiu o estudo do Talmud pela terceira vez, pronunciou um discurso de Chassidut explicando o sentido do Chadran (conclusão de estudo).

Durante o ano de ludo da sua mãe, meu pai concluiu o conjunto da Mishna no final do décimo primeiro mês e no dia do Iortseit, todo o Talmud.

Shabat 10 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de Bo com Rashi

Tehilim: 55 a 59

Tania: Cap.19: Uletossefot... Belev Klal

No Torá Or, no discurso que começa por “Lemaan Tihiyé”, no final do parágrafo que começa por “Umnom”: em vez de ler “Lo Yshbot Yomom Miurot” é preciso ler “Lo Yshbot Yomum Volaylo Milrtzot”.

Minha avó (a Rabanit Rivca), quando tinha a idade de dezoito anos, em 5611 (1851), ficou doente. O médico lhe prescreveu que comesse desde que acordasse mas ela se recusou, não querendo comer antes da oração. Ela então rezava ao acordar e só então fazia a refeição.

Quando seu sogro, o Tsemach Tsedec, soube disso, ele lhe disse: “um Judeu deve ser saudável e vigoroso. A Torá diz a propósito dos seus Mandamentos: “viveremos com eles”. Isto quer dizer que devemos introduzir a vitalidade nestes Preceitos. Para fazê-lo é preciso estar forte e feliz”.

Ele concluiu:

“Você não deve jejuar. É melhor comer para rezar que rezar para comer”.

Depois a abençoou desejando-lhe uma vida longa. {Ela nasceu em 5593 (1833) e deixou este mundo em 10 de Shvat de 5674 (1904).}

Estas palavras foram proferidas por meu pai a alguém durante uma entrevista que ele lhe outorgava. Ele acrescentou:

“E devemos fazer tudo isso com alegria”.

(Extrato de uma carta do Rabino Iossef Itschac: “Alunos da Ieshivá perguntam se podiam comer antes de rezar. Eles deverão certamente ler primeiro o Shema Israel com os Tefilin e poderão depois comer bolos”.

O dia 10 de Shvat é a data do Iortseit do Rabino Iossef Itschac, que deixou este mundo no Shabat Parashat Bo, 10 de Shvat de 5710 (1950), às 7 horas e 45 minutos da manhã. Está enterrado em Nova Iorque. Nesta mesma data, o Rebe Shlita, seu genro, tornou-se o chefe da nossa geração).

Domingo 11 Shvat 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de Beshala´h  com Rashi

Tehilim: 60 a 65

Tania: Cap.20: Vechiné... (p.Khaf Vav) U´cheefes Mamash

O dia começa falando Modé Ani (Sidur p.6: “Dou graças, Rei vivo e existente, Que restituiu a minha alma ....”)

Pronuncia-se esta frase mesmo antes de lavar-se as mãos, enquanto ainda estão ainda impuras. De fato, todas as impurezas do mundo não poderiam manchar o Modé Ani de um Judeu. Este pode ter uma lacuna neste ou naquele campo. Seu Modé Ani, entretanto, permanece íntegro.

Segunda 12 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Beshala´h com Rashi

Tehilim: 66 a 68

Tania: Ki Chithavut.... (p. Khaf Vav) Vedakot Yoter

O intelecto e o maravilhar-se são dois mundos diferentes, um é frio e pensado, o outro impetuoso e efervescente. E o esforço do homem consiste em combiná-los e uni-los. Deste modo a efervescencia se torna atrativa e o intelecto um guia para uma vida consagrada ao serviço de D’us, repleta de realizações concretas.

Terça 13 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Beshala´h com Rashi

Tehilim: 69 a 71

Tania: Aval Esser... Inyaneï Olam

O Iortseit (aniversário) se fixa na data da morte, incluindo o primeiro ano, mesmo quando o dia do enterro foi posterior ao da morte.

Quando meu avô (o Rabino Maharash) tinha sete anos, seu pai (o Tsemach Tsedec) respondeu-lhe uma vez: “Quando D’us fez o homem ereto, Ele lhe outorgou Sua benfeitoria e lhe conferiu uma grande qualidade. De fato, apesar dele andar na terra, ele pode sempre olhar para o céu. Inversamente, aquele que anda com quatro patas só vê a terra”.

(Observaremos que este é o dia do Iortseit da Rabanit Shterna Sara, mãe do Rabino Iossef Itschac, que deixou este mundo em 13 de Shvat de 5702 (1942). O enterro ocorreu relativamente afastado do decesso já que ela só foi inumada em 15 de Shvat.

Quarta 14 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Beshala´h com Rashi

Tehilim: 72 a 76

Tania: Cap 21: Vechiné...(p.52) Nevuatam

·  Em Minchá não se diz Tachanun (Sidur p. 103).

Em cada época nossos mestres tiveram o costume não somente de invocar a Misericórdia divina para os Chassidim a eles ligados mas também de ter presente no espírito a lembrança dos seus fiéis discípulos, repletos de afeição pelo Rebe e ligados a eles. Em compensação, sentiam por eles afeição e ligação.

Recordar alguém desperta suas forças mais profundas. Vemos concretamente isso quando fixamos fortemente uma pessoa, atirando sua atenção e seu olhar. De fato, um olhar penetrante desperta a essência da alma. O pensamento exerce também o mesmo efeito.

Quinta 15 Shvat

·  Não se diz Tachanun (Sidur p. 103).

(Na data de 14 de Shvat, a necessidade de não dizer o Tachanun é recordada depois das passagens a serem estudadas. De fato, este estudo ocorreu pela manhã e é em Minchá que não se deve dizer o Tachanun. Em 15 de Shvat, por outro lado, é desde Shacharit que não se diz o Tachanun, quer dizer antes do estudo das passagens diárias).

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Chamishi de Beshala´h com Rashi

Tehilim: 77 e 78

Tania: Vechareï...(p.Khaf Zaïn) Bimetsiut

Quando se estava a ponto de imprimir a Segunda parte do Torá Or (ver 3 de Shvat), os Chassidim sabiam já que o Tsemach Tsedec havia redigido notas e comentários sobre estes discursos. Pediu-se a ele para imprimi-los no corpo do livro, mas ele recusou.

Depois disso, ele sonhou que seu avô, o Admor Hazaquen, vinha pedir-lhe para imprimi-los, mas não revelou este sonho a ninguém. Logo, três dos seus filhos tiveram o mesmo sonho e vieram contar-lhe o mesmo. Foi só então que ele aceitou imprimir suas notas e seus comentários sobre a Segunda parte do Torá Or, que foi intitulado Licutei Torá.

Sexta 16 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Beshala´h com Rashi

Tehilim: 79 a 82

Tania: Vekol Chatsimtsumim...`Chashiv Mamash

Meu pai (o Rabino Rashab) diz:

“Entre a frialdade e a heresia, há apenas uma sutil separação.

Diz-se que ‘o Eterno teu D’us é um fogo que devora’. A divindade é uma chama. Deve se estudar e orar com o calor do coração de modo que ‘todos meus ossos proclamem’ as palavras de D’us, da Torá e da oração”.

Shabat 17 Shvat

·  É preciso ficar de pé durante a leitura do Cântico do Mar.

·  Haftará: VeDvorá Ishá Neviá.

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de Beshala´h com Rashi

Tehilim: 83 a 87

Tania: Cap 22: Rak... Tamid

·  É costume comer sarraceno neste Shabat.

Durante o Shabat Beshalach de 5621 (1861), o Tsemach Tsedec pronunciou um discurso chassídico que começou por  “Beu Ci Hashem”, e que está impresso em Licutei Torá.

Pouco depois, ele disse ao seu filho (O Rabino Maharash), meu avô:

“Meu avô (o Admor Hazaquen) recitou este discurso durante o Shabat Beshalach 5565 (1805). Depois ele me chamou e contou que em 5529 (1769), enquanto estava em Mezeritch, o Maguid o chamou para o quarto e lhe disse:

“Durante o Shabat Beshalach 5516 (1756), o Baal Shem Tov pronunciou um discurso que começava pelo versículo “e o Mar Vermelho reencontrou sua potência”. Ele explicou que “Eitano” (sua potência) se lê da mesma maneira que “Tanao” (sua condição), como o explicam nossos Sábios. Em 5521 (1761), um ano após o Baal Shem Tov ter deixado este mundo, meu mestre (o Baal Shem Tov) veio ver-me, prosseguiu o Maguid, e recitou este discurso. Ele acrescentou ao mesmo uma explicação referente à expressão “faz-se a vontade (e não a palavra) de D’us”. Hoje, meu mestre veio novamente me ver e repetiu-me este discurso.

O Maguid repetiu-o então diante do Admor Hazaquen e acrescentou uma explicação sobre o rio Guinaï, episódio que é comparável à abertura do Mar Vermelho.”

O Tsemach Tsedec concluiu:

“Hoje, o Baal Shem Tov, o Maguid e o Admor Hazaquen vieram ver-me e cada um deles me repetiu este discurso à sua maneira”.

Algumas horas mais tarde, o Tsemach Tsedec chamou novamente o meu avô (o Rabino Maharash) e recitou diante dele um comentário deste discurso.

{O Midrash explica que D’us, quando criou o mundo, fixou uma condição ao Mar Vermelho, este deveria se abrir diante do povo de Israel. Por outro lado, se explica que Rabi Pinchas Ben Iair, quando estava indo cumprir a Mitsvá de libertar prisioneiros, encontrou o rio Guinaï no seu caminho e lhe pediu para abrir-se diante dele (ver Hulin 7 A ).}

Domingo 18 Shvat 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de Yitro com Rashi

Tehilim: 88 e 89

Tania: Cap 23: Veim... (p. Khaf `Chet) Beolamot

O Tsemach Tsedec contou ao seu filho (O Rabino Maharash), meu avô, que o discurso que começa com “Umareihem Umaseihem” (que se encontra em Torá Or , Parashat Itró) é o primeiro que o Maguid de Mezeritch proferiu quando assumiu a direção dos Chassidim, em Shavuot de 5521 (1761).

O Admor Hazaquen ouviu-o do Rabino Menachem Mendel de Horodoc, autor do Pri Haarets, que estava então presente. Entretanto, ele próprio explicou este discurso à sua maneira.

Segunda 19 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Yitro com Rashi

Tehilim: 90 a 96

Tania: Vela´chen Nikraïm...(p.56) Keguf Lineshama

A primeira Injunção da Torá, de acordo com os termos do Rambam, é “saber que há uma Existência primeira, na origem de todas as criaturas”. Saber isto é um Mandamento positivo, assim como está dito “Eu sou o Eterno teu D’us”.

Esta Mitsvá é colocada em prática pelo cérebro e pelo intelecto. Deste modo, apesar de cada Judeu crer em D’us com uma fé pura e apesar do seu coração estar inteiramente consagrado a Ele, ele tem uma obrigação intelectual de expressar esta crença nos termos da compreensão e do conhecimento. É o sentido de “saber que há uma Existência primeira”.

A Mitsvá consiste em saber e compreender, como está dito: “Conhece o D’us do teu pai e serve-O com um coração íntegro”. Diz-se igualmente “Saberás neste dia”.

Terça 20 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Yitro com Rashi

Tehilim: 97 a 103

Tania: Ve ´chen Chalevuch...(p.56) Yemeïhem

Meu pai (o Rabi Rashab) escreveu numa de suas cartas:

“De acordo com os comentários do Ashri, para lavar-se as mãos antes da refeição, verte-se água três vezes seguidas sobre cada mão. É o que fazia meu pai (o Rabi  Maharash). Depois, ele deixava um pouco do terceiro jato na palma da mão esquerda e esfregava as suas duas mãos.

Quarta 21 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Yitro com Rashi

Tehilim: 104  e 105

Tania: A´h Chama´chashava... (p.Khaf Teth) Kepikudine

É dever das mulheres e das moças Chassídicas, possam elas ter uma longa vida, ficar na primeira fileira de qualquer ação cuja finalidade seja reforçar a religião e o Judaísmo em geral, em particular no que se refere à pureza familiar.

Ela precisam organizar uma associação de moças Chassídicas com o objetivo de reforçar as práticas dos Chassidim e de promover a educação das crianças como sempre foi concebida nos lares chassídicos.

(A pureza familiar designa as Leis do casamento e da família, em particular as da imersão ritual. Ver o dia 29 de Quislev e 10 de Nissan).

Quinta 22 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: `Chamishi de Yitro com Rashi

Tehilim: 106  e 107

Tania: Umea´char Sheratson... Belav Cha´chi

Existem duas espécies de princípios: aqueles que criam a vida e aqueles que são criados pela vida.

As leis humanas são criadas pela vida. Esta é a razão pela qual elas diferem de um país ao outro, de acordo com as circunstâncias.

A Torá de D’us é uma Lei Divina, que cria a vida. Ela é uma Torá de Verdade que é idêntica em qualquer lugar e em qualquer época. A Torá é eterna.

(Foi nesta data que a Rabanit Chaia Mushca, filha do Rabi Iossef Itschac, deixou este mundo, em 5748 [1988]. Durante sessenta anos, ela foi a esposa do Rebe Shlita.)

Sexta 23 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Yitro com Rashi

Tehilim: 108 a 112

Tania: Umizé Yukchal... Kemo Shekatuv Lekaman

Uma vez, saindo do seu quarto, o Admor Hazaquen viu que a Rabanit (sua esposa) dizia a algumas mulheres (falando do seu marido): “o meu diz que...”.

O Rabi disse então: “apenas por uma única Mitsvá, eu sou teu. Por quantas mais e numerosas Mitsvot somos de D’us”. Com estas palavras, o Admor Hazaquen caiu na soleira e entrou em êxtase.

Voltando a si, ele disse: “saiam e vejam”. Para afastar-se do seu ego e perceber a Divindade, é preciso ter recurso às “filhas de Sion”. Porque o atributo de realeza, o elemento feminino, desperta os seis atributos do sentimento. No mundo futuro, se cumprirá a promessa de acordo com a qual “a mulher de valor é a coroa do seu marido”.

(“Saiam e vejam, filhas de Sion” é um verso do Cântico dos Cânticos [3.11]. O atributo de realeza é “feminino” porque não tem luz própria e recebe sem cessar dos outros atributos. Ele permite portanto, “afastar-se do seu ego”. Sua qualidade será revelada plenamente no mundo futuro).

Shabat 24 Shvat

·  Durante a leitura dos Dez Manadamentos, fica-se em pé, em frente ao Sefer Torá

·  Haftara: Bichnat... Matsevata

·  Abençoa-se o Rosh Chodesh Adar

·  Lêem-se todos os Tehilim pela manhã

·  É um dia de Farbrenguen

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shevii de Yitro com Rashi

Tehilim: 113 a 118

Tania: Vezé... Kenoda

“O povo viu e estremeceu”. Foi a percepção de D’us que o fez estremecer, num momento de vitalidade, de vida.

* * *

Se vocês soubessem, disse o Tsemach Tsedec, o poder dos versículos de Tehilim e o que eles cumprem nas esferas celestiais, vocês os recitariam constantemente. Saibam que os Salmos rompem todos os limites, se elevam cada vez mais alto, sem nenhum obstáculo. Eles apresentam sua súplica diante do Mestre do mundo e são atendidos com bondade e misericórdia.

Domingo 25 Shvat 5703

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Rishon de Mishpatim com Rashi

Tehilim: 119, do versículo 1 ao 96

Tania: Cap.25: Vezéchu... (p.62) A´char Ka´h

Aprender todo dia uma Parashá do Chumash com o comentário de Rashi (Domingo até Sheni, Segunda até Shlishi e assim por diante), falar todo dia alguns Tehilim, lê-los todos no Shabat que precede Rosh Chodesh, são práticas que convém respeitar escrupulosamente. Porque elas terão conseqüências para aquele que as adota, para seus filhos e para seus netos.

Segunda 26 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Sheni de Mishpatim com Rashi

Tehilim: 119, do versículo 97 ao fim

Tania: Veaf Shechaomer... Alav Kenoda

A afeição é o sopro de vida do serviço de D’us Chassídico, o fio que liga os Chassidim entre eles e a ligação que une o Rebe com os seus Chassidim e os Chassidim com o Rebe. Ela exerce seu efeito de maneira direta ou por retroatividade, não tem nenhum limite, transcende as noções de tempo e de espaço.

Terça 27 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shlishi de Mishpatim com Rashi

Tehilim: 120 a 134

Tania: Ve´chen Bibe´ chinat... Avodat Chatsédaka

Meu pai (o Rebe Rashab) escreveu num dos seus discursos:

“Os primeiros Chassidim tomaram a resolução firme de privar-se de qualquer coisa permitida pela Torá mas pela qual eles sentiam um desejo e uma vontade. Foi assim que quebraram sua emoção.

Quarta 28 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Révii de Mishpatim com Rashi

Tehilim: 135 a 139

Tania: Vekayotsé... (p. Lamed Beth) Baru´h Chu Kenizkar

Um dos ensinamentos do Baal Shem Tov:

Quando vejas um asno”(Chamor, o asno, se lê também Chomer, matéria), quando consideres meticulosamente a tua matéria, quer dizer teu corpo, verás:

Do teu inimigo” que ele é o inimigo da tua alma divina, que anseia pela Divindade e pela espiritualidade. Mais do que isso, verás:

Que ele se dobra sob o seu fardo” que ele se dobra com a carga que D’us deu ao corpo, para que ele se refine com o cumprimento da Torá e das Mitsvot. Porque o corpo, diante desta tarefa, não demonstra nenhum entusiasmo. Você poderia concluir então que:

Você vai evitar ajudá-lo” a cumprir bem esta missão. E você se imporá então mortificações, para quebrar a sua ‘rudeza. Mas esta não a maneira de fazer residir a luz da Torá. Muito pelo contrário,

Você deve ajudá-lo” para purificar o corpo e elevá-lo, mas não para quebrá-lo por sofrimentos físicos.”

(Esta explicação está baseada num versículo da passagem do Chumash estudada hoje, Mishpatim 23, 5. Alguns aconselham, de fato, a prática do ascetismo. O Baal Shem Tov rejeita este enfoque. Ele considera que o corpo não é um obstáculo para o espírito. Muito pelo contrário, ele deve se tornar o receptáculo da Santidade).

Quinta 29 Shvat

Passagens a serem estudadas:

Chumash: ´Chamishi de Mishpatim com Rashi

Tehilim: 140 a 144

Tania: Vei´choud... (p.Lamed Beth) Kemo Shekatuv Bemakom A´cher

O Admor Hazaquen disse um dia:

“O comentário de Rashi sobre o Chumash: é o vinho da Torá. Ele abre o coração e revela o amor intenso e o temor profundo. O comentário do Rashi sobre o Talmud: abre o espírito e revela a compreensão precisa.”

Sexta 30 Shvat

ROSH CHODESH

Passagens a serem estudadas:

Chumash: Shishi de Mishpatim com Rashi

Tehilim: 145 a 150

Tania: Ubezé... Shaa Kenizker Léeïl

Muitos Chassidim consideravam o dia da sua chegada a Lubavitch como seu aniversário. Meu mestre, o Rabino Shmuel Betsalel, chegou pela primeira vez a Lubavitch numa quinta feira à noite, na Parashat Mishpatim 5608 (1848). Todo ano ele passava toda esta noite acordado e se esforçava para colocar os Tefilin no instante preciso em que havia entrado no quarto do Tsemach Tsedec, quando este lhe outorgou sua primeira entrevista.

(Isto pode ser semelhante ao ensinamento dos nossos Sábios [Sanhedrin 19B], de acordo com o qual: “aquele que ensina a Torá ao filho do seu amigo...é considerado como se o tivesse engendrado”.)


 "Todos os Direitos Reservados", que indica que aquela obra está protegida por lei e não poderá ser copiada sem autorização do autor.
©RABINADO DO RIO DE JANEIRO