O buraco no barco

B’SD

O buraco no barco

Pediram a alguém para ir à praia pintar um barco. Ele trouxe pintura e um pincel e começou a pintar de vermelho claro, como lhe tinha sido solicitado. Enquanto trabalhava, ele percebeu que a pintura se infiltrava através do chão do barco e ele entendeu que havia um vazamento que ele decidiu consertar. Quando terminou seu trabalho o operário recebeu o seu pagamento e foi embora. No dia seguinte, o proprietário do barco foi visitar o pintor e lhe deu um cheque num valor importante. Este ficou surpreso e disse:

Você já pagou pelo trabalho que me foi pedido fazer.

Mas este cheque não está sendo dado pela pintura e sim pelo conserto do buraco.

Era uma coisinha pequena que eu nem quis acrescentar na conta. Eu não vou, portanto, aceitar um valor tão grande por um trabalho tão pequeno.

Meu caro amigo, você não está entendendo. Permita-me contar o que aconteceu.

Quando eu pedi a você para pintar o barco, eu tinha esquecido de te falar do vazamento em questão. Quando o barco ficou seco, meus filhos o usaram para ir pescar. Eu não estava em casa quando eles pegaram o barco. Ao voltar para casa fiquei com um medo louco, porque lembrei que o barco estava furado. Você não pode imaginar como fiquei aliviado e feliz quando vi de volta meus filhos. Examinei o barco e percebi que você o tinha consertado. Você está entendendo o que você fez? Você salvou a vida dos meus filhos. Eu não tenho dinheiro suficiente para te recompensar por essa “coisinha”.....

Moral da história

Meus amigos, essa história tem moral. Com freqüência, quando fazemos o que nos parece ser uma pequena “mitsvá”, ignoramos a coisa magnífica que cumprimos. Acontece, também, que ao infringir um pouquinho de nada a lei, provocamos uma catástrofe terrível. As boas ações bem como as más não ficam isoladas. Uma boa ação cria ou boa ação assim como uma infração leva a outra. Cada uma, por “menor” que seja, pode ou engendrar ou destrui mundos inteiros. Vocês não acham que vale a pena considerar esta história?