Cinco métodos para fazer Teshuva

1)·      “Tav”: “Tamim”, “vc será Íntegro com o Eterno teu D’us”.

2)·      “Shin”: “Shiviti Hashem leneguedi tamid”, “coloco o Eterno sempre frente a mim”.

3)·   “Vav”: “Veahavta”, “amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

4)·      “Beit”: “Becol Deraheha”, “em todos teus caminhos, re-conhece e se liga com D’us”.

5)·      “”: “Hitsna Lehet”, “seja humilde diante do Eterno teu D’us”.

(Extrato do Hayom-yom, tishrei)

Na segunda feira da parashat Ki Tetsé, 6 de elul 5564 (1804), o Tsémach Tsédec foi recebido pelo Admor Hazaquen, que lhe disse:

“Durante o Shabat Parashat Tavo 5528 (1768), meu mestre (o Maguid de Mezeritch) fez um comentário que começava com as palavras “e voltarás para o Eterno teu D’us”.

Ele explicou que a Tshuvá deve ser “até o Eterno teu D’us”, até que o nivel da Divindade, Que transcende os mundos, seja “teu D’us”. Eloquim, D’us tem o mesmo valor numérico que “Hateva”, como está dito: “No princípio, Eloquim criou o céu e a terra”.

Todos os discípulos ficaram maravilhados por esta explicação. O Tsadic Rabi Meshulam Zusia d’Anipoli disse que ele não poderia alcançar uma Tshuvá tão elevada. Ele preferia, portanto, cortá-la em várias partes, já que a palavra Tshuvá está constituída pelas iniciais de:

1)·      “Tav”: “Tamim”, “vc será Íntegro com o Eterno teu D’us”.

2)·      “Shin”: “Shiviti Hashem leneguedi tamid”, “coloco o Eterno sempre frente a mim”.

3)·   “Vav”: “Veahavta”, “amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

4)·      “Beit”: “Becol Deraheha”, “em todos teus caminhos, re-conhece e se liga com D’us”.

5)·      “”: “Hitsna Lehet”, “seja humilde diante do Eterno teu D’us”.

Quanto meu pai (o Rebe Rashab) me contou tudo isto, ele concluiu: a

palavra Tshuvá está composta por cinco letras e cada uma delas é um caminho, um método de se fazer Tshuvá. Ele explicou precisamente estes cinco modos. Todos adquirem uma existência efetiva graças a uma oração ardente.

(Estes cinco métodos de Tshuvá estão expostos durante os cinco dias seguintes).

Este é um resumo do comentário do meu pai (o Rebe Rashab) sobre

o primeiro método de Tshuvá:

LETRA Tav, “Tamim”,INTEGRO,

“VC SERÁ  Íntegro será com o Eterno teu D’us”.

Esta Tshuvá decorre da sinceridade. A integridade e a sinceridade recebem diferentes formas. Quando se trata de Tshuvá, a mais elevada é a integridade do coração, o sério. É assim que se diz com respeito a Avraham: “Achaste seu coração fiel diante de Ti”.

Este é um resumo do

segundo método de Tshuvá:

LETRA Shin,Shiviti”,

“coloco o Eterno sempre frente a mim”.

Avaiá, o Eterno, é o nome que faz alusão à criação do universo e das criaturas. A existência, na sua generalidade, foi conferida a partir do nada. Esta forma de Tshuvá decorre de uma consciência, a cada instante, da maneira como o mundo e o que nele se encontra, são trazidos à existência.

Este é um resumo do

terceiro método de Teshuvá:

letra Vav,Veahavta”, tu amaras

“amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

O Admor Hazaquen ensina que este sentimento é o instrumento que permite sentir amor por D’us. Isto justifica a seguinte afirmação dos nossos sábios: “aquele que é amado pelas criaturas é amado por D’us”. Esta Tshuvá decorre da bondade do coração.

Este é um resumo do  quarto método de Tshuvá: letra Beit,

Becol Deraheha deehu”, “em todos teus caminhos, re-conhece D’us”.

Aquele que observa com todo seu coração e com toda sua atenção o que ocorre a ele e à sua volta, pode perceber a Divindade de forma evidente e de modo palpável.

O Admor Haemtsaí ensinava que esta é precisamente a qualidade dos comerciantes, que não possuem aqueles que se dedicam ao estudo o dia todo. Eles podem perceber a revelação divina de maneira efetiva.

Esta Tshuvá é consequência de perceber-se a Divina Providência.

Este é um resumo do quinto método de Tshuvá: letra Hé,Hitsna Lehat”, “seja humilde com pudor diante do Eterno teu D’us”.

É preciso evitar a qualquer preço as manifestações ostensivas. Nossos sábios dizem: “é preciso ser sempre esperto para a piedade”. Esta esperteza consiste em não deixar nada transparecer desta piedade.

Sabemos que muitos dos primeiros Chassidim escondiam o que eram realmente. Quando eram descobertos, sofriam sinceramente. Esta Tshuvá é resultado da discrição.