Estudo diário do "hitat"

CHUMASH - Tehilin - tanya

A palavra "Chitat" é composta pelas iniciais das palavras "Chumash"(o Pentateuco),
"Tehilim" (Salmos), e "Tanya" (livro básico da Chassidut Chabad do Admur Hazaken). Trata-se de três estudos cotidianos estabelecidos pelo Rabi Rayats.
Entre os Chassidim Chabad, transmite-se de uma geração à outra, uma prática instaurada pelo Admor Hazaquen, que consiste no estudo diário de uma Parashá do Chumash, com o comentário de Rashi, correspondente à Sidra da semana. Ela foi adotada por todos nossos mestres, chefes dos Chassidim Chabad. citação do Hayom Yom data do 19 Tevet

Chumash 
O Humash é composto pelos Cinco Livros da Torá que são Berishit (Gênesis), Shemot (Êxodo), Vaikra (Levítico), Bamidbar (Números), e Devarim (Deuteronômio). O Humash é composto por seções chamadas Parasha (no plural, Parashiot) ou Sidra (no plural, Sidrot). Estudamos uma seção da Torá por semana. Cada seção  da Torá (Parasha) é também dividida em 7 partes ou porções de uma Parasha que correspondem aos 7 dias da semana. Estudamos então uma porção da Parasha por dia. O estudo do Humash é semanal. Este estudo consiste em aprender, no domingo, o Rishon da Parashá da semana (a porção da Parasha do primeiro dia da semana), o Sheni  (a porção do segundo dia da semana) na segunda-feira e assim por diante até o Shabat. Desta maneira a leitura e o estudo dos 5 Livros do Humash é concluído todo ano no dia de Simchat Torá. Este dia é um dia de Festa do calendário judaico (Yom Tov), e a conclusão do Pentateuco é o motivo de uma grande celebração e de uma imensa alegria acompanhada de danças com os rolos da Torá nas sinagogas em todas as comunidades.

 Os versículos do Humash são estudados com o comentário do Rashi. O temor de D´us é despertado naquele que estuda o Humash com o comentário do Rashi. Por outro lado, o  Admur Hazaken explicou aos Chassidim que “devemos viver no tempo atual”. O Maharil, irmão do Admur Hazaken, explicou o significado desta expressão: “devemos viver segundo os ensinamentos da Parasha da semana”. É então muito importante estudar o Humash regularmente segundo a repartição diária da Parasha.

 

Tehilim, (Os Salmos)

Por outro lado, devemos ler (pronunciar) também os Tehilim (Salmos) da maneira que eles estão repartidos entre os dias do mês. Assim, a leitura dos cinco livros dos Salmos acaba todo mês. Além disso, eles são lidos uma segunda vez, no último Shabat do mês, quando o mês seguinte é abençoado. No total, são então 300 Tehilim que são lidos mensalmente; trezentos é o valor numérico do termo hebraico “Kaper”, “redimir-se de seus pecados”.

 

Tanya

 

O Tanya, finalmente é estudado segundo um ciclo anual com uma repartição específica quando há um ou dois meses de Adar segundo mês de Adar. O estudo do Tanya é concluído todos os anos, no 19 de (Iud Teth) Kislev, Rosh Hashana da Chassidut. É um antigo costume estudar todo dia um capítulo do Tanya antes da reza da manhã para estimular a concentração durante a reza ajudar na submissão perante D´us.

 

O Rabi Rayats destacou que  o versículo 5 do capítulo 35 da Gênese faz alusão ao estudo do Chitat: “E o temor (Chitat) de D´us se espalhou pelas cidades”. Assim, o estudo do Chitat permite proteger a pessoa das coisas indesejáveis e revelar a bênção em tudo.

 

O estudo do Chitat está relacionado à festa de Shavuot (entrega da Torá), que é também o dia da Hilula (aniversário de falecimento) do rei David e do Baal Shem Tov. Na verdade, a entrega da Torá foi realizada por intermédio de Moshé, que redigiu o Chumash. O rei David escreveu os Tehilim e o Tania é uma apresentação racional da obra do Baal Shem Tov.