7. Vayetsé, e ele saiu

B’SD

Kol Hamoshiach

PARASHAT VAIETSÉ

Conteúdo da Parashá:

Þ  Iaacov se dirige a Haran.

Þ  O sonho da escada (Hashem se revelou para Iaacov num sonho profético. Sua finalidade era reforçar Iaacov (que estava sendo perseguido por Essav e que se preparava para ir à casa de Lavan, o trapaceiro) e de assegurar-lhe a Sua assistência através de todos os elementos futuros.

Þ  Iaacov serve Lavan durante 7 anos para Rachel

Þ  Lavan, fraudulento, engana Iaacov e toda a cidade de Haran

Þ  Iaacov se casa com Rachel

Þ  Lea engendra 4 filhos e suas irmãs gêmeas: • Reuven, • Shimon, • Lévi, • Iehuda

Þ  Rachel pede filhos e Iaacov casa com Bilha e Zilpa

Þ  Bilha da à luz um filho e Rachel o chama Dan

Þ  Bilha engendrou um segundo filho e o chama Naftali

Þ  Zilpa engendra um menino e Lea o chama Gad

Þ  Zilpa traz ao mundo outro filho que Lea chama Asher

Þ  Lea da à luz outros filhos e os chama: • Yissachar e • Zevulun

Þ  Lea engendra uma filha, Dina

Þ  Hashem outorga finalmente um filho a Rachel: Iossef

Þ  Lavan muda o salário de Iaacov

Þ  Iaacov foge com sua família; Lavan o persegue

Þ  Iaacov é acolhido por dois campos de anjos.

--***--

Resumo da Parashá:

Iaacov parte para Haran. Ele deixou Beer Sheva em segredo para fugir do seu irmão Essav, mas este soube da sua partida. Ele ordenou ao seu filho Elifaz que perseguisse Iaacov e que o matasse por ter lhe tirado a Bênção. No caminho D’us aparece a Iaacov e lhe promete que Ele dará a terra de Israel aos seus descendentes. Iaacov se casa com as filhas de Lavan, Rachel e Lea, que dão à luz os pais das tribos de Israel.

Nossa Parashá nos conta como um judeu, Iaacov, parte sozinho para uma terra estrangeira, Haran. Ele não leva nada com ele; a Torá nos diz que foi apenas com sua vara que ele atravessou o Jordão. Apesar disso ele avança com o coração leve, tendo confiança em D’us.

Chegado em Haran, ele viu que não podia confiar em ninguém, nem mesmo na sua família; ele não podia esperar nada deles. Seu tio, Lavan, o enganou. Mas Iaacov nunca perdeu sua confiança em D’us. Tudo isso lhe permitiu tornar-se muito rico e, principalmente, ter filhos, que foram muito ligados a D’us.

Avraham tinha tido um bom filho, Itschac, mas também um outro, Ishmael; Itschac também tivera um bom filho, Iaacov, mas junto com este, Essav. Apesar de Avraham e Itschac terem criado seus filhos em Israel e não no exílio, tiveram descendentes como Ishmael e Essav. Pelo contrário, Iaacov e seus filhos viveram no exílio. Iaacov, com o difícil trabalho que fazia para Lavan, precisou ter, também, muito cuidado para que seus doze filhos, que viviam no meio de um povo completamente estrangeiro, não se conduzissem como as pessoas de Haran e sim espalhassem entre eles a Torá.

Foi por ter tido confiança em D’us que Iaacov conseguiu ter êxito em todos os campos: ele ficou muito rico e todos seus filhos foram fiéis a D’us.

Isso nos ensina algo importante. Só podemos e só devemos ter confiança em D’us, a Quem estamos ligados apelas pela Torá e pelas Mitsvot.

Quando as crianças judias recebem uma educação de Torá, uma verdadeira educação judia, como nossos ancestrais nos transmitiram, então podemos todos ir ao encontro de Mashiach, já que estamos prontos para sua chegada.

***

1.         Iaacov parte de Beer Sheva e se dirige a Haran.

BEER SHEVA simboliza uma situação de ‘costume’, ‘conforto’, ‘prazer’ para os judeus. (Sheva vem de Savea, saciedade). A palavra Beer Sheva também alude à promessa (Shvuá) feita por Avraham a Avimelech de concluírem uma aliança de paz; também se refere aos 7 poços (sheva beerot) que eles cavaram após a conclusão desta aliança.

Iaacov deixa Beer Sheva: ele deixa a Ieshivá onde ficou 14 anos, um local de Torá, onde se “serve” a Hashem e se trabalha para Ele, e ele se dirige para Haran, um local muito baixo (Haran quer dizer que lá se encontra o furor do mundo por causa dos pecados - têm a mesma raiz). Haran é um local onde tudo é muito baixo.

2.         É de acordo com essa ordem que a vida de cada judeu deve se organizar. Quando ele vai construir uma casa em Israel (Bait be Israel), isto é sua vida como judeu, como Iaacov, que parte para procurar sua outra metade (zivug) em Haran e para construir seu lar, o judeu deve sair de Beer Sheva e ir para Haran. A preparação real é ficar em Beer Sheva, um local da Torá. Mas vocês vão dizer que a verdadeira vida é Haran, é o mundo real, com suas dificuldades. Então justamente, para servir D’us nesses lugares que são os mais baixos do mundo e os mais afastados de tudo (Haran), é preciso se preparar com um estudo forte, intenso da Torá (Beer Sheva).

Este é o ensinamento que cada judeu deve tirar: quando ele está em meio a testes e dificuldades, ele deve se segurar forte e se dominar e neste meio construir um lar judaico, cálido, iluminado; e mais do que isso, é - Haran - que, pelas suas dificuldades, vai reforçá-lo e torná-lo mais maduro do que antes.

Beer é o poço onde se encontra água fresca, fonte de vida, do Gan Eden.

Haran é o furor, a cólera de D’us.

***

Quando Iaacov foi no seu caminho em direção a Haran, a Torá conta que ele se esticou neste lugar (Vaishcav Bamacom).

O midrash conta que durante quatorze anos, nos quais estudou na Ieshivá de Ever, Iaacov não se esticou, não descansou um instante.

O midrash acrescenta que Iaacov também não se esticou durante os vinte anos em que ficou na casa de Lavan (seu tio, o irmão de Rivca).

Isto quer dizer que Iaacov evitou dormir durante longos anos. Mas por que?

De acordo com o primeiro midrash, Iaacov não dormiu longos anos por que estava na Ieshivá, estudando a Torá e fazendo mitsvot sem interrupção. Ele usou cada instante da sua vida para estudar Torá, num esforço incansável. Ele dedicou seu ser a tal ponto para a Torá, tanto de dia quanto de noite, que não dormiu durante esses 14 anos.

Quanto ao segundo midrash, que diz que mesmo na casa de Lavan, Iaacov não dormia, vemos que Iaacov Avinu foi para Haran a cidade do seu tio Lavan e que Haran era um local cheio de pecados, de pecadores, de malvados. Por que, então, ele foi para lá? Para trabalhar para D’us, para servir a D’us, exatamente no local onde se encontra a cólera de Hashem, precisamente no local mais baixo que possa existir; a finalidade era elevar o lugar e revelar e descobrir a santidade (Queduchá) oculta na casa de Lavan. É por isso que ele não parou de trabalhar, que ele não se deu o tempo de dormir, nem mesmo de se esticar. Iaacov esteve ocupado a cada instante da sua permanência, para se bater contra Lavan, para ter o domínio sobre os pecados que havia na casa de Lavan e para trabalhar além da medida, sem descanso, no estudo da Torá e no cumprimento dos mandamentos divinos (Mitsvot).

LAVAN – cara de pau - SE OPÔS A IAACOV

I) Ele não tinha nada a fazer porque Iaacov era um tsadic e estudava a Torá, aliás, isso não o incomodava. Mas o que ele não queria é que Iaacov eduque os filhos e lhes ensine a eles também a Torá. Lavan então disse a Iaacov:

“As filhas (Habanot) são minhas filhas e os filhos são meus filhos”

Ele está se referindo às suas próprias filhas e aos seus próprios filhos, (os filhos são os netos de Lavan, que seriam futuramente a raiz do povo judeu), pelos quais Iaacov havia trabalhado vinte anos.

O que Lavan quis dizer com isso? “Tu, Iaacov, aprende, estuda, mas a educação dos meus filhos, desta eu me encarrego”. Iaacov, entretanto, nunca desistiu do ensino: ele se dedicou além da medida para que seus filhos e suas filhas recebessem uma educação Casher, de acordo com a lei judia, sem compromissos com o meio ambiente, durante esses vinte anos, a ponto de não ter se esticado para dormir esse tempo todo.

II) E o que mais disse Lavan a Iaacov?

“O rebanho é meu rebanho”

Lavan lhe disse: “vai estudar que eu vou me ocupar do trabalho. Eu vou cuidar do rebanho”.

E disse Lavan: “não é possível fazer negócios de acordo com as leis da Torá. Não se pode enriquecer assim”. Lavan achava que podia enganar os pastores um pouco por ali, mentir acolá, roubar de um e de outro e que dirigir tudo com honestidade não era possível. Lavan pensou também que era impossível enriquecer dignamente usando o mesmo caminho que Iaacov usava. Iaacov era honesto demais aos seus olhos. Ele achava que a inocência financeira de Iaacov não podia levar ao sucesso financeiro nem a ser de acordo com o que era Haran.

IAACOV, entretanto, não se impressionou com as palavras de Lavan. Ele nunca se deixou levar. Ele foi fiel a ele mesmo e à Torá. Ele se esforçou sempre para fazer o melhor que podia, a se dedicar inteiramente ao respeito das palavras da Torá, até nos seus mínimos atos. É o que testemunha o midrash:

LONGOS ANOS NÃO SE ESTICOU PARA DORMIR (não se deixou impressionar nem por educação e nem por dinheiro).

Este é o caminho a seguir, que Iaacov nos deu como herança. Nos assuntos de Torá e Mitsvot: não ter compromissos. É proibido escutar a voz de Lavan. É preciso ignorá-lo. E para isso, Iaacov trabalhou, se dedicou ao estudo da Torá para poder ensinar aos filhos e manter-se e comportar-se de forma reta, correta.

Quando se segue este caminho, se merecerá um fluxo de Berachot de Hashem e sucesso exatamente como nos mostra o exemplo de Iaacov: Iaacov enriqueceu muito muito (consideravelmente) e ele teve rebanhos numerosos, servas e servos, camelos e asnos (ele foi o mais rico da sua época).